A paranaense Jessica Andrade está de malas prontas. Com 28 anos, a “Bate-Estaca” planeja uma mudança de Niterói-RJ para Las Vegas, nos Estados Unidos, para ficar ainda mais próxima do ‘seu escritório’. A atleta da PRVT busca afiar as armas no Instituto de Performance do UFC e estudar inglês.

“O objetivo é desenvolver ainda mais a nossa equipe, aprender a língua e poder utilizar toda a boa estrutura do UFC. Estamos planejando essa mudança para depois que passar a pandemia”, disse a paranaense, em entrevista exclusiva à Tribuna.

No momento, Jessica tem realizado seus treinos em Niterói, no aguardo de uma nova luta pelo Ultimate. Recentemente, a Bate-Estaca teve a revanche contra a americana Rose Namajunas cancelada pela organização, por conta de problemas pessoais da sua rival.

“Espero que em junho ou julho eu já possa voltar a lutar. Acredito que a luta contra a Rose possa acontecer e quem vencer terá uma nova oportunidade pelo cinturão”, ressaltou Jessica, que acabou perdendo o título para a chinesa Weili Zhang, em seu último duelo, realizado no ano passado.

“Ilha da luta”

Durante a última semana, o UFC retornou com três eventos realizados com portões fechados na Flórida. Jessica Andrade ressaltou a atitude da organização e destacou que espera a tão sonhada “ilha da luta”, prometida pelo presidente do Ultimate, Dana White.

“Essa volta do UFC está sendo ótima, pois tudo está sendo feito com muita precaução e cuidado. São vários exames sendo realizados, atletas isolados. É uma alegria diferente para o público em casa. Espero que logo a organização possa abrir a ‘ilha da luta’ para que os eventos aconteçam com mais frequência”, concluiu a paranaense.