O Coritiba voltou a perder no Brasileirão. Agora no Couto, para o Atlético Mineiro, 1×0. E como está jogando em cima do fio da navalha, essa nova derrota o devolve para a zona do rebaixamento. 

Uma derrota absolutamente normal. Não seria normal, se com todas as suas limitações individuais, o Coxa não perdesse para esse Galo que está assentado para disputar o título. Tudo diferente de uma derrota, seria surpresa.

Para o técnico Jorge Sampaoli, um jogo parece ter 45 minutos. Bem por isso, o Atlético estabeleceu esse limite temporal para dar a solução ao jogo. Marcou com Sasha, mas bem poderia ter marcado com Keno e Guga.

Até que o Coritiba foi razoável na etapa final. Sem Galdezani, com Igor Jesus, o Coxa se soltou. Equilibrando o jogo, passou a ter chances: Igor Jesus, Hugo Moura e Robson provocaram no mínimo a ilusão de que o empate seria possível.

Se o Galo de Sampaoli teve condições de resolver o jogo em 45 minutos, para esse Coxa de Jorginho, 90 minutos acabou sendo pouco tempo. É preciso analisar o efeito dessa derrota. 

Uma vitória repercutiria bem mais do que uma vitória normal. É que poucos irão vencer o Galo. No entanto, para quem luta contra o rebaixamento, a derrota em jogo como esse pode ser absorvida imediatamente. Na situação em que está, o Coxa não pode é perder para Goiás e Furacão, seus próximos adversários que, também, lutam na zona de baixo.