Se as relações entre CBF e as federações não fosse prostituida pelo critério da qualidade do voto nas eleições da entidade nacional, o futebol brasileiro já teria resolvido o seu calendário estrangulado pela Covid-19. Os estaduais não seriam privilegiados no reinicio, permitindo que todas as divisões do Brasileiro pudessem ser já programadas.

Mas, o interesse politico da entidade nacional e estaduais sobrepõe o interesse do futebol. A consequência é essa que está aí: com o poder estatal fracassando no combate à pandemia, o futebol é tratado como um negócio irrelevante.

No Paraná, esse estado se torna mais grave, porque a Federação Paranaense de Futebol, por ser como parasita sugando os clubes, não assume o interesse desses que é o de voltar a jogar.

Se não fosse essa sua condição, o futebol paranaense no mínimo já teria uma data possível como alento. No entanto, até agora, a FPF e os clubes sequer elaboraram um processo de protocolos médicos e sanitários para sensibilizar os agentes públicos.

Esses que já não sabem o que fazer, agradecem a ajuda do futebol.

Atração duvidosa

Quando foi lançado por Dorival Junior, no Santos, diziam que Geuvânio poderia ser igual a Neymar. Passados oito anos, não consegue ser nem mais o atacante que surgiu. Fracassou na China, no Flamengo e no Atlético-MG. Como sobra de mercado, aos 28 anos de idade vai tentar reiniciar no Furacão.

Talvez, sob o comando de Dorival, Geuvânio consiga, ainda, salvar a sua carreira.

A política de contratações do Athletico nessa época de peste é absolutamente correta. Investe em jovens e busca jogadores experientes que sobram no mercado.

Resta saber se esses jovens contratados foram melhores avaliados do que Abner, por quem o Furacão seguindo os “critérios” de Paulo André, pagou R$ 10 milhões.

Prova na tela

E há quem continue afirmando que o futebol não é importante. Desde que a Covid-19 foi declarada, a audiência da Globo News na tevê fechada era imbatível. Mas, daí, neste domingo, a ESPN transmitiu Real Madrid 3×1 Eibar, pelo Campeonato Espanhol, e ganhou a audiência.