Saudações Amigos. Dias atrás falamos sobre as mais perigosas lesões que podem ocorrer numa academia, como rompimentos de tendão, etc. Por conta disso muitas mães se assustam. O que elas e muita gente não sabem, é que as lesões no futebol podem ser muito mais perigosas que as da musculação e podem ocorrer sem sentir, diferente da musculação, onde na maioria das vezes as lesões estão relacionadas a excesso de carga. Vamos lá:

1) Lesão no músculo posterior da coxa:

As lesões nos músculos da parte de trás da coxa ocorrem com muita frequência no futebol. A maior parte delas acontece durante uma arrancada ou uma corrida a toda velocidade, sem qualquer impacto ou contato com outros jogadores. Os sintomas variam conforme a gravidade da lesão, já que é possível romper todo o músculo ou apenas parte dele. As lesões nos músculos posteriores da coxa ocorrem com mais frequência quando já houve uma lesão anterior na região ou quando a musculatura da coxa está enfraquecida. Os sintomas e sinais são: Estalo no momento da lesão; dor súbita ao longo da parte de trás da perna. Dor, inchaço e hematomas na parte posterior da coxa. Também Dificuldade de caminhar e a atividade de flexionar (dobrar) o joelho causa dor.

2 ) Lesões na cabeça:

Fique atento e nunca subestime uma lesão na cabeça, pois podem se tornar vem graves. Dois pontos são importantes, o primeiro é que você pode ter sofrido uma concussão. O segundo é que, se foi isso que aconteceu, o fundamental é saber quando você pode voltar a jogar com segurança. Uma concussão é uma lesão do cérebro. É algo temido porque pode afetar a memória, a concentração e a habilidade de resolver problemas, entre outros aspectos.

Essa lesão é mais complicada porque não é nada fácil reconhecê-la. Ao contrário do que se pensa, não é necessário perder a consciência para ter sofrido uma. Você pode simplesmente ficar confuso ou não saber as horas, o dia ou lugar onde está por algum tempo após a lesão. Também é possível que você sinta dor de cabeça, tontura, enjôo e falta ou perda do equilíbrio.

As crianças são mais propensas a lesões nos membros e articulações durante seus surtos de crescimento, entre as idades de 7 e 12 anos, quando os ossos crescem primeiro e os músculos e tendões sofrem constantes adaptações. Algumas Escolinhas de Futebol querem mostrar resultados aos pais e prometem oportunidades de testes em grandes clubes. Assim exigem muito destes pequenos atletas. Portanto fique de olho, pois isso pode prejudicar os estudos e até mesmo o crescimento.

Essas são as lesões mais comuns no futebol, esteja atento pois elas ocorrem não somente no meio profissional mas sim recreativo, e são potencializadas pela falta de preparo, condicionamento, elasticidade e força dos “atletas de final de semana”.