Não sou fã de nenhuma série em especial.  Gosto de séries, assisto até séries canceladas e mais de uma vez, quando valem a pena. Gosto do formato, mas não me envolvo “sentimentalmente” com as produções.

As séries com temática adolescente sempre foram muito permissivas, leves e superficiais. Poucas ousaram profundamente com temáticas como violência, drogas e, mais recentemente, 13 Reasons Why (Netflix) com o suicídio e o bullying.

Não há solução para a eterna confusão que o entretenimento provoca na realidade. A criatividade, o apelo, a emoção e a ousadia das produções artísticas não podem ser controlados. E também não é justo criticar os autores por não evangelizarem, por não promoverem uma cidadania melhor, afinal, é entretenimento, a criação é livre.

Colocar em games, filmes e séries a responsabilidade por influenciar jovens que não têm embasamento crítico sobre a vida, é tirar de pais (e também de psicólogos e psiquiatras) o direito de se arrependerem por estar fazendo errado. Apenas uma tentativa de não precisarem assumir a culpa.

Continuem, sim, jogando games de terror, assistindo filmes psicodélicos e séries sobre qualquer tema! Há muito a aprender sobre o certo e o errado e sobre a criatividade humana.  O resto é com vocês.

Se você ainda não conhece a série, assista ao trailer: