Aquela cena clássica de uma criança estática em frente à TV, movimentando apenas os dedos sobre o controle do vídeo-game durante horas não é mais motivo de pesadelo para os pais e adultos. É cada vez mais comum ver a garotada jogando o game e ao mesmo tempo executando os movimentos do tênis, do judô ou até de uma aula de ginástica aeróbica. Acusados de estimular a violência e estimular o sedentarismo entre crianças e jovens, o vídeo-game foi finalmente absolvido pela ciência. E tudo graças ao console Nintendo Wii, brinquedo que utiliza controle sem fio e jogos que exigem a movimentação do corpo e, por isso, pode ser usado para combater o sedentarismo entre os jovens.

No final do ano passado, o Departamento de Saúde do Reino Unido reconheceu oficialmente o papel do Wii como incentivador de práticas esportivas e saudáveis. Um estudo conduzido pela universidade John Moores, de Liverpool, no Reino Unido, avaliou quantas calorias são gastas por crianças quando estão jogando Wii e descobriu que um garoto de 13 anos gasta, em média, 150 calorias em uma hora de jogo.  

O corpo todo em movimento

O diferencial do Wii está em seu controle remoto, sem fio e com sensores que captam os movimentos do jogador fora da tela, permitindo com que ele participe do jogo com o seu próprio corpo, em vez de ficar sentado apenas apertando botões. Por meio de jogos que simulam treinos esportivos, como boxe, vôlei e boliche, a pessoa que está jogando realiza movimentos típicos de cada modalidade de forma intensa. A presença de movimentos dos membros superiores e inferiores, e do corpo como um todo, é constante. “Com isso, as crianças tendem a ter maior gasto calórico e melhorar a condição corporal”, explica o médico Franz Burini, especialista em medicina do esporte.

 Outro estudo feito pelo programador norte-americano de jogos Mickey DeLorenzo procurou detalhar as quantidade de calorias, em média, gastas nas diferentes modalidades de jogos do brinquedo por um adulto. De acordo com o relatório apresentado por ele, 15 minutos de uma luta de box são suficientes para queimar 125 calorias. Em 15 minutos de tênis é possível queimar 92 calorias e o mesmo tempo no boliche permite a queima de 77 calorias.

Wii não substitui exercícios

A vantagem de um vídeo-game com tecnologia que pedem dinamismo é que a criança passa a praticar atividades físicas sem que se sinta obrigada, além de afastar o desânimo que a falta de habilidade ou o excesso de peso podem gerar e facilitar a busca deles pelo esporte favorito. Quem fica motivado com o basquete virtual, provavelmente vai sentir o mesmo nas quadras de verdade.

Porém, de forma alguma a substituição, em longo prazo, do vídeo-game pela prática esportiva deve ser considerada pelos responsáveis pela criança, sob o risco de não solucionar eventuais problemas de saúde no futuro. O Wii traz benefícios em curto prazo, sendo, portanto, um coadjuvante na regulação de peso. “Para um aumento da qualidade de vida da criança, a prática de exercícios físicos regulares e a reeducação alimentar são essenciais”, diz Franz Burini.

O cansaço contra o vício

Mas o fato de o vídeo-game ser aliado no combate ao sedentarismo não elimina as desvantagens do brinquedo como, por exemplo, o vício pelo jogo. Uma criança pode ser classificada como viciada quando dedica uma média de 24,5 horas semanais jogando vídeo-game, ou seja, três horas e meia por dia de imersão em mundos virtuais. Isso é altamente prejudicial à criança por diversos motivos, tanto do lado psicológico, estimulando um comportamento recluso e favorecendo a ansiedade, quanto do lado físico, provocando problemas posturais e de ganho de peso.

Por envolver atividades físicas, o Wii acaba provocando um cansaço positivo e prazeroso à criança. O exercício físico por si só está associado à liberação de endorfina no organismo, substância relacionada ao bem-estar. Em geral, com uma hora de jogos de esportes do Wii, a criança costuma ficar cansada e satisfeita com o tempo em que fica em contato com o vídeo game, diminuindo o tempo de exposição à tela.