visaodefutu270607.jpgO teste do reflexo vermelho, mais conhecido como teste do olhinho, já faz parte da rotina obrigatória em vários estados brasileiros. Regulamentado em forma de lei em algumas localidades, esse exame detecta diversos problemas oculares e previne uma série de seqüelas, entre elas catarata congênita, glaucoma congênito, infecções, malformações, entre outros problemas de saúde ocular. O exame deve ser feito antes de a criança sair da maternidade e é obrigatório por lei no Paraná. ?Sem dúvida um passo importante para beneficiar a saúde ocular de muitas crianças?, diz Harley Bicas, presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia.

Em 2007, o Ano Internacional contra a Cegueira Infantil, o número de crianças deficientes visuais no mundo chega a cerca de 1,5 milhão, metade delas vivendo em países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento. ?Com esse teste, que é bem simples e rápido, poderíamos mudar o quadro no Brasil, tornando a obrigatoriedade do teste em lei nacional?, diz Rosane da Cruz Ferreira, presidente da Sociedade Brasileira de Oftalmopediatria.

O teste do olhinho pode ser facilmente feito com a emissão de luz sobre a pupila do recém-nascido por meio de um aparelho chamado oftalmoscópio. A luz atravessa a pupila, cristalino, humor vítreo e reflete-se nos vasos sangüíneos da retina sem causar qualquer dano. O reflexo produz uma cor avermelhada e contínua nos olhos saudáveis, descartando a presença de doenças oculares. Na ausência de reflexo ou em casos de assimetria, a criança é encaminhada ao oftalmologista para fazer outros exames. Os médicos recomendam o teste do olhinho nos próprios berçários sempre antes da alta do bebê. Sem contra-indicações, o exame pode ser feito em todas as crianças recém-nascidas (inclusive prematuras) e pode identificar casos precoces de cegueira.