Friozinho pela manhã, temperaturas altas durante o dia e a volta do frio ao entardecer. Os moradores da região sul já estão sentindo os efeitos do outono. O clima próprio da estação propicia uma maior incidência de doenças respiratórias, como resfriados, gripes, sinusites e rinites alérgicas. Estatísticas comprovam que nessa época do ano aumenta entre 30% e 40% a procura de atendimento nos postos de saúde devido aos incômodos causados por tais doenças.

Se para as crianças os meses do outono trazem riscos consideráveis, para os adultos representam um impacto negativo nas atividades diárias no trabalho, representado por mais consultas médicas, internações hospitalares e pelo absenteísmo. Sem contar que as oscilações de temperatura mexem na saúde e no bolso da população, que gasta mais dinheiro em medicamentos.

Uma das doenças que mais preocupa é a rinite alérgica, que, quando não tratada de forma adequada, predispõe o paciente a doenças como sinusite, otite, deformidades anatômicas decorrentes da respiração bucal e doenças mais graves como a asma, responsável por milhares de óbitos no Brasil.

Para não cair de cama no outono, confira algumas dicas dos especialistas.

* Mantenha todos os ambientes sempre ventilados.

* Em dias de sol, coloque a roupa de uso diário ao ar livre.

* Guarde bichinhos de pelúcia e retire os tapetes.

* Evite o convívio com animais.

* Evite o contato com pessoas que estejam adoentadas.

* Dê banho nas crianças nas horas mais quentes do dia.

* Não fume e não permita que fumem perto de você.