Uma proteína “guardiã” regula a vida das células há 2 bilhões de anos, desde as células da levedura até as do homem, controlando a fábrica molecular que produz as proteínas, segundo estudo publicado na revista científica “Nature”.

A proteína se chama p27 e sua função crucial foi descoberta pelo instituto San Raffaele de Milão, em colaboração com a universidade do Piemonte Oriental Amedeo Avogadro e com o instituto FIRC de Oncologia Molecular.

“É um descobrimento excitante”, disse Pier Carlo Marchisio, do San Raffaele, que coordenou a pesquisa junto com Stefano Biffo, professor da Universidade do Piemonte Oriental. “Conseguimos penetrar nos segredos de uma proteína muito bem conservada na história evolutiva e descobrimos um mecanismo de base muito importante”.

O estudo conseguiu descobrir uma nova arma que no futuro permitirá controlar diretamente os mecanismos que regulam a sobrevivência de todas as células. Os pesquisadores não excluem que isso pode permitir aprimorar o estudo e a luta contra os tumores.

A produção da proteína p27 é muito abundante em algumas formas de tumor, em particular as do cólon e reto.

“Ainda são necessários, no entanto, cinco ou dez anos de trabalho antes de se determinar se esta pesquisa pode ter significado importante no estudo dos tumores”, observou Biffo.

O que é certo, segundo os pesquisadores, é que se trata de uma proteína que poderá ter uma “possível interação com todos os mecanismos que controlam o crescimento celular”.

Como conseqüência, concluíram, “os possíveis resultados poderão ser numerosos e imprevisíveis, com muitos alvos potenciais, conectados com um crescimento celular anômalo”.