Boa parte da população que não apresenta patologias como colesterol alto e diabetes, considera que consumir produtos “Light” é jogar dinheiro fora. Trata-se de um tabu, que precisa ser quebrado, de que estes alimentos são “corretivos”, quando na verdade eles representam uma forma de “Alimentação preventiva”.

Há muito tempo sabemos que alimentos light podem melhorar a saúde e diminuir o risco de certas doenças, sendo recomendadas na prevenção da doença coronariana, câncer, obesidade e diabetes.

Os produtos light possuem menos calorias (1/3) e 50% menos gordura, o que previne a obesidade, que por sua vez é um fator de risco para alguns tipos de câncer, doença cardiovascular e para o diabetes tipo 2.

Quem consome estes produtos está, de fato, consumindo menos calorias por unidade do produto. Mas é claro que, quanto maior for o consumo desses produtos, maior será a ingestão de calorias. Portanto, é preciso prestar mais atenção nos rótulos das embalagens para descobrir realmente a quantidade de calorias que cada produto contem, pois só isso poderá indicar em que quantidade eles podem ser consumidos.

A chave para ter uma alimentação saudável é buscar uma dieta balanceada. Não existem alimentos “bons” ou “maus”. É importante visualizar sua dieta como um todo. Somente quando ela for desbalanceada e incluir uma grande proporção de alimentos “menos saudáveis”, será inadequada. Nenhum alimento deve ser proibido em uma dieta saudável, exceto por motivos específicos, embora alguns devam ser controlados como a gordura, sal, proteínas, glúten, etc…