Questões relacionadas à segurança alimentar têm recebido cada vez mais atenção da população, especialmente no que diz respeito a perigos microbiológicos e químicos presentes em alimentos. Apesar de microrganismos patogênicos serem os principais responsáveis por enfermidades causadas por alimentos, a presença de resíduos de substâncias químicas também é muito comum e perigosa. No caso do leite, os antibióticos são resíduos químicos detectados com bastante freqüência. Isso é o que mostram Luís Augusto Nero e equipe da Universidade Federal de Viçosa (MG) em um estudo que teve como objetivo detectar resíduos dessas substâncias em leite produzido no Brasil.

Duzentas e dez amostras de leite cru foram coletadas em propriedades leiteiras de quatro estados do Brasil: na região de Viçosa – MG, na região de Pelotas – RS, na região de Londrina – PR e na região de Botucatu – SP. De acordo com os pesquisadores, a presença de resíduos de antibióticos em leite pode causar vários efeitos indesejáveis, como seleção de cepas bacterianas resistentes, no ambiente e no consumidor, hipersensibilidade e possível choque anafilático em indivíduos alérgicos a essas substâncias, desequilíbrio da flora intestinal, além de efeito teratogênico. Além disso, pequenas quantidades de antibióticos determinam resistência crônica de microrganismos presentes no trato intestinal humano.

Na pesquisa, os especialistas detectaram resíduos de antibióticos em 11,4% das amostras, sendo 20,6% da região de Londrina, 8,0% da região de Botucatu, 8,5% da região de Viçosa, e 6,0% da região de Pelotas. Segundo eles, os resultados sugerem problemas em relação à utilização de antibióticos em animais em lactação, indicando não obediência ao período de carência dos medicamentos. ?Uma vez presentes no leite, os riscos à saúde pública e prejuízos para a indústria que esses antibióticos podem gerar são proporcionais a suas concentrações?, considera Luis Nero. Além disso, essas substâncias não são eliminadas no beneficiamento, podendo representar perigo até nos derivados fabricados com essa matéria-prima.

Dessa forma, os resultados obtidos permitem concluir que a presença de resíduos de antibióticos em leite produzido no Brasil pode ser considerada preocupante, e indicam a presença de um perigo químico associado a esse produto. De acordo com a equipe de pesquisadores, a conscientização dos produtores é fundamental para a prevenção de resíduos desses medicamentos em leite. Também recomendaram que, estudos complementares que determinem exatamente quais são essas substâncias e suas concentrações são de grande importância para se estabelecerem políticas de segurança alimentar e controle desses resíduos em leite e derivados.

Fonte: Notisa