A Organização Mundial da Saúde (OMS) incentiva a distribuição gratuita a soropositivos e doentes com Aids de remédios contra a tuberculose, que acelera notavelmente a progressão clínica da doença.

Segundo recente documento da OMS, cerca de um terço das 42 milhões de pessoas infectadas com o vírus HIV sofre tuberculose e prevê-se que nove entre dez morrerão no período de poucos meses se não se curarem.

“Mais de 70% dos tuberculosos da África”, afirmou o responsável para a luta contra a tuberculose da OMS, Mario Raviglioni, “não têm acesso às terapias adequadas”, apesar do tratamento não constituir gasto elevado, pois bastariam US$ 10 por pessoa para curar os que sofrem de tuberculose.

“Devemos aumentar nossos esforços para enfrentar a sinergia letal entre essas duas doenças”, afirmou Raviglioni. Soropositivos e doentes com Aids sofrem mais intensamente os efeitos da tuberculose em relação a outros doentes, já que têm o sistema imunológico enfraquecido.

Calcula-se que um terço da população mundial é portadora do vírus da tuberculose e entre 5% e 10% desenvolvem os sintomas da doença.

Segundo Raviglione, seria oportuno tanto oferecer uma terapia contra a tuberculose gratuita como favorecer o acesso aos remédios contra a Aids nos países em vias de desenvolvimento, em especial na África.

Estima-se que na África do Sul, país com a maior cifra de infectados ? mais de 5 milhões de pessoas, ou 11% da população ?, a tuberculose mata cerca de um terço dos soropositivos ou doentes.

Segundo a OMS, ainda faltam US$ 3,8 bilhões para se chegar à cifra de US$ 9,1 bilhões, prevista em projeto de luta contra a Aids iniciado pela comunidade internacional em 2001, com a instituição de um fundo especialmente para esse fim.