Bastam sete segundos: as extremidades do corpo (mãos e pés) ficam suados e frios, os músculos se contraem, os batimentos cardíacos aceleram, a pressão arterial sobe e a respiração se torna mais rápida. É assim que o organismo reage, fisiologicamente, a uma situação de estresse, um dos grandes desafios da vida moderna. Segundo dados da Associação Internacional de Gerenciamento de Estresse (sigla Isma, em inglês), mais da metade dos trabalhadores do mundo se encontram estressados e a cada dia esse vilão invisível faz mais vítimas.

As causas muitas pessoas conhecem: excesso de cobranças, prazos apertados, agenda cheia, correria no trabalho e em casa. É praticamente impossível viver sem estresse. Mesmo situações prazerosas, como programar uma viagem ou festa, podem desencadear o problema. Especialistas reconhecem que, até certo limite, o distúrbio é necessário e considerado positivo, pois estimula a pessoa a lidar com situações desafiantes, diferente do que acontece com o estresse negativo, que  faz o corpo ir além do que ele pode produzir. Com efeito, surge a dificuldade para dormir, a alimentação desregrada e o uso mais freqüente de estimulantes, como café e cigarro.    

Técnicas milenares

Se não dá para fugir do estresse, a solução é descobrir formas de lidar com ele. Praticar atividades que promovam o relaxamento mental e muscular, como o yoga, por exemplo, trazem bons resultados. Luciana Ross Kaiut, diretora do Yoga Studio, de Curitiba, explica que as técnicas utilizadas pelos praticantes de yoga são eficientes contra o estresse porque fazem a pessoa parar por duas ou três horas durante a semana e direcionar a atenção para dentro dela. ?Isso faz com que o praticante enxergue sua verdadeira condição física e identifique onde descarrega o estresse?, destaca, salientando que o yoga é uma importante ferramenta para construir um corpo saudável.

A contadora Rosângela Leguer se rendeu à técnica milenar. Praticante de yoga há três anos, conta que sofria com dores crônicas, por todo o corpo, resultado de uma vida sedentária e de um ritmo de trabalho intenso. Ela tomava remédios todos os dias para aliviar as dores, fumava muito, se alimentava mal e estava acima do peso. ?Para completar era muito agitada e nervosa?, lembra. Após um mês praticando yoga, a contadora conta que já percebeu melhoras. Ficou mais tolerante, menos estressada e, para seu alívio, suas dores sumiram por completo.

Luciana Kaiut comenta que a maioria yogues estão interessados nos efeitos terapêuticos da técnica. Ela conta que, entre seus alunos, existem aqueles que recorrem à pratica por diversos motivos, como combater disfunções severas do sistema nervoso (esclerose múltipla, parkinsonismo, distonia) até depressão, síndrome de pânico, ansiedade e gestação de risco. São pessoas de todas as idades que procuram manter um estilo de vida saudável, afinal, ?diminuir o ritmo de trabalho e dedicar um tempo para algo que a pessoa goste, também contribui para uma vida mais saudável?, completa.