Um estudo realizado pelo Centro Médico universitário VU de Amsterdã, na Holanda, sugere que morar até três quilômetros de parques ou áreas de lazer que incluam vastas zonas de vegetação é benéfico para saúde mental.

A pesquisa aconteceu com 350 mil pessoas, que tiveram suas fichas médicas e os endereços analisados.

Os pesquisadores analisaram o grupo que morava nas proximidades das áreas verdes e aqueles que ficavam mais perto dos locais urbanizados. De acordo com o estudo, as pessoas que moram perto de parques e de áreas de lazer sofrem menos com problemas de depressão e ansiedade. Doenças como diabetes, problemas digestivos e doenças infecciosas também apresentaram uma queda.

Outra característica dos pacientes que moram perto de áreas verdes é a recuperação mais rápida depois de cirurgias. Os cientistas explicam que um, em cada três pacientes que moravam nessas regiões, tiveram uma melhora muito melhor se comparada com aqueles que vivem em lugares mais urbanizados.