Allan Costa Pinto / O Estado do Paraná
Curitibanos mediram a pressão
gratuitamente ontem.

Em todo mundo, milhares de pessoas são vítimas de hipertensão arterial. No Brasil, cerca de 30% da população sofre do mal, que se caracteriza por uma tensão exagerada do sangue bombeado contra a parede dos vasos sangüíneos. Ontem, para alertar a população curitibana sobre o problema, o Hospital do Coração, que este ano completa trinta anos, realizou um evento no Jardim Ambiental, no bairro Alto da XV. Foram realizadas palestras, caminhada e medições gratuitas da pressão.

Segundo o cardiologista e diretor do hospital, Paulo Franco de Oliveira, a maioria das pessoas não sabe que é vítima de pressão alta, pois a doença não possui sintomas. “Muitas vezes, a pessoa sente uma leve dor de cabeça e cansaço, mas não associa isso à hipertensão”, explica.

O problema é constatado quando a pressão arterial é medida e são verificados números acima dos considerados normais (140/90mHg). É mais comum em homens acima dos 40 anos de idade e mulheres que já passaram pelo período da menopausa. Os riscos de complicações aumentam conforme a idade do paciente. “A pressão alta é um problema grave, pois pode estar condicionada ao aparecimento de outras lesões consideradas graves. Entre elas: infarte do miocárdio e derrame cerebral, que podem levar ao coma e a deficiências motoras permanentes”, explica Paulo.

Em 70% dos casos não se conhece a causa do aparecimento da pressão alta. Porém, sabe-se que ela pode estar ligada a fatores congênitos, problemas de rim e endocrinológicos. O tratamento é feito à base de medicamentos. Porém, algumas mudanças nos hábitos de vida já podem contribuir muito para o controle da pressão. “As pessoas com pressão alta devem reduzir a quantidade de sal na comida, deixar de ingerir gorduras saturadas (presentes em carnes vermelhas e gorduras) e praticar exercícios físicos sob orientação médica, dando preferência aos aeróbicos (como caminhada, bicicleta e natação)”, finaliza o médico cardiologista.