Índios das etnias Kaingang, Guarani e Charrua do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e do Paraná ocuparam na manhã de hoje (29) escritórios da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) em três cidades (Curitiba e Guarapuava, no Paraná, e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Em Brasília, desde as 7h da manhã, indígenas ocupam parte do prédio do Ministério da Saúde.

Segundo a Articulação dos Povos Indígenas da Região Sul (Arpin-Sul), responsável por organizar as manifestações nos estados, o grupo, que cobra maior atenção do governo federal à saúde indígena, também já bloqueou o tráfego de veículos em cinco rodovias, sendo duas delas federais. Trecho da BR-386 foi ocupado entre as cidades de Iraí (RS) e Chapecó (SC). Já na BR-285, o tráfego está interrompido na região de Mato Castelhano (RS), município gaúcho que fica próximo a Passo Fundo (RS). Manifestantes também se concentram em trechos das estradas RS-324, RS-480 e RS-343.

Os indígenas divulgaram documento no qual denunciam “o abandono da saúde indígena por parte do governo federal” e cobram do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, “a imediata solução dos problemas”. Entre as reivindicações estão a melhoria do salário do profissional de saúde que atua com povos indígenas, a construção, reforma e ampliação de unidades de saúde, a aquisição de leite em pó e leites especiais, aquisição de órtese, próteses dentárias e cadeiras de rodas, óculos entre outros pedidos.