O esforço físico exagerado sem uma preparação adequada tem sido motivo de preocupação entre os cardiologistas nos últimos anos. Entre as vítimas de infartos do miocárdio, o número de jovens vem aumentando. De acordo com o chefe do Departamento de Cardiologia do Hospital das Clínicas (HC), Cláudio Pereira Cunha, jovens de 18 a 30 anos têm morrido por causa desse problema.

A falta de preparo físico, aliada a uma carga pesada de exercícios exige muito do corpo, e o esforço, conseqüentemente, acelera os batimentos cardíacos. Para quem não está preparado, essa aceleração dos batimentos pode ser fatal, ocasionando o infarto. Segundo Cláudio, uma pessoa que não tem o hábito de se exercitar, provavelmente terá algum problema se não consultar alguém especializado antes de praticar o exercício, mesmo não estando na idade de risco de ocorrência de infartos, a partir dos 40 anos. “O exercício físico sem uma avaliação prévia é totalmente errado. Qualquer que seja o esforço, alguém que não tenha esse costume pode vir a ter problemas de saúde. Não estou desaconselhando a prática de exercícios, pelo contrário. O errado é não estar preparado para tal atividade”, afirma.

Atletas

Para o preparador físico do Coritiba, Manoel dos Santos, o problema deve ser analisado individualmente. “Cada um possui um limite de resistência. Quando ultrapassamos esse limite, o risco de algum problema aparecer aumenta perigosamente. Parece óbvio, mas quem não tem o costume de praticar exercícios corre mais risco de ter um infarto se não realizar uma avaliação anterior”, ressalta.

Manoel trabalha diretamente com o preparo físico dos jogadores e afirmou que todos passam por avaliações da equipe médica do clube. Ele ainda destacou que os exercícios realizados pelos atletas de alto rendimento não podem ser considerados saudáveis, pois exigem muito do condicionamento físico. “A primeira coisa realizada é a avaliação física do jogador, para sabermos o total de exercício que ele pode agüentar. Isso independe de idade, cada um terá um condicionamento físico, e obrigatoriamente será realizado um eletrocardiograma, para sabermos se está tudo em ordem com o atleta”, explica. “Ser um jogador de futebol não garante que você terá saúde a vida inteira. Eles são muito exigidos e chegam ao extremo de seu condicionamento físico. Existem muitos casos de ex-jogadores que sofreram infarto logo após pararem com a carreira.”