Rio de Janeiro – A Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) estima que 53 mil novos casos de câncer de mama vão surgir no país neste ano e que 12 mil pessoas podem morrer. Para combater a doença, a entidade vai lançar na próxima segunda-feira (27) uma campanha nacional, com ações de conscientização popular em todo o país, como distribuição de panfletos explicativos e palestras com especialistas.

No Rio de Janeiro, voluntários e médicos vão participar, durante todo o dia, de um evento na Cinelândia, local de grande movimentação de pedestres no centro da cidade, para chamar a atenção sobre a importância do diagnóstico precoce. De acordo com a SBM, 90% dos casos detectados no estágio inicial podem ser curados. Mas no Brasil, o índice é de apenas 60%.

Segundo o presidente da sociedade, Diógenes Basegio, as mulheres com histórico familiar de ocorrência da doença devem ficar especialmente atentas. ?O histórico familiar é o fator de risco mais importante, especialmente se o câncer ocorreu na mãe ou em uma irmã, se foi bilateral e se foi desenvolvido antes da menopausa?.

A tradicional recomendação de que a mamografia seja realizada anualmente a partir dos 40 anos continua válida, mas os médicos da SBM alertam para o aumento da incidência entre jovens. Por isso, o ideal é fazer, além dos exames clínicos, o toque da mama para detectar o aparecimento de nódulo ou caroço. A estimativa é de que apenas 23% das brasileiras o façam.