“Doenças do coração matam. Mas podem ser prevenidas se houver um controle dos fatores de risco”, afirma o dr. Otávio Gebara, diretor do Instituto de Cardiologia de São Paulo, que funciona dentro do Hospital Santa Paula. Dos fatores que devem ser controlados, o sedentarismo merece um importante destaque. “Em 100% de chances de uma pessoa sedentária sofrer um infarto, essa taxa cairá para 52% se ela mudar seus hábitos e passar a caminhar 30 minutos por dia. Em atletas essa taxa é de 45%. Como percebemos, ninguém precisa ser um atleta para prevenir uma doença do coração. Além disso, a caminhada, que poderá ser realizada até em três ?prestações? de 10 minutos, é uma atividade democrática, ninguém precisa pagar mensalidade para andar”, afirma o cardiologista.

Dados apontam que 82% da mulheres são sedentárias, contra 75% dos homens. Como o sedentarismo colabora no aumento da taxa de colesterol, a mudança no estilo de vida é fundamental para preservar a saúde. Hoje, 33% da população feminina abaixo dos 50 anos morre de doenças do coração. Acima dessa idade, a taxa aumenta para 49%. Em 63% dos casos, o infarto já ocorre como primeiro sintoma. “Da população que deveria estar tomando medicação para atingir um nível ideal de colesterol (abaixo de 200), apenas 20% o fazem”, revela, ainda, o dr. Otávio Gebara.