Bastou que alguns dias frios dessem as “caras” para que, até mesmo, o tradicional bate-bola noturno com os amigos contabilizasse alguns desfalques. No entanto, os especialistas recomendam: é bom dar um drible nessa “preguicite” para não dar adeus à massa muscular adquirida na prática acumulada em longos meses de exercícios físicos.

Isto serve para todos os tipos de praticantes, independendo da atividade que pratica. “Se parar por muitos dias, se perde todo o condicionamento físico e a pessoa pode voltar a ser considerada sedentária”, diz o médico Osmar de Oliveira, especializado em medicina do esporte.

Com a queda da temperatura, muitas pessoas deixam o desânimo tomar conta do corpo, também se afastam das academias e, consequentemente, descuidam da saúde e da forma física. Uma situação que precisa ser revertida.

Mesmo durante a estação dos dias mais frios, é possível adaptar a rotina de atividades físicas e tomar alguns cuidados ao se exercitar a fim de evitar lesões. Se no calor as atividades ao ar livre são mais frequentes, durante o frio é preciso prestar atenção em alguns detalhes. Para que tudo ocorra de forma certa e não prejudicial à saúde, é importante caprichar no aquecimento.

Aquecimento

Conforme o personal trainer Carlos Klein, não existe uma atividade física mais indicada para a prática durante o Inverno.

O que deve existir é uma atenção à adaptação do corpo em função das condições climáticas para os movimentos que serão desenvolvidos no período de baixas temperaturas.

A natação, por exemplo, se não for praticada em uma piscina aquecida, deve ser descartada.

A corrida também é outro exercício que deve ser praticado, levando-se sempre em consideração os cuidados com o clima, pois as temperaturas corporais e do ambiente podem entrar em choque durante a atividade física.

No inverno o aquecimento antes de começar o treino ganha ainda mais importância. Além de aumentar a temperatura corporal, lubrifica as articulações, o que ajuda a prevenir eventuais lesões. “Uma excelente maneira de aquecer é combinar um alongamento dinâmico, que são movimentos corporais que exploram toda a amplitude articular, realizados de forma lenta e em diversos planos, com o tradicional trabalho cardiovascular, na esteira ou bicicleta em intensidade leve a moderada, por 10 a 15 minutos antes de iniciar a parte principal do treino”, observa o professor.

Dieta balanceada

Os mesmos cuidados tomados no Verão devem ser respeitados também nos dias mais frios. Klein faz um alerta às pessoas que vão praticar esportes específicos da temporada, como esqui ou snowboard: “é essencial que se use todas as proteções e respeite seus limites antes de aumentar o nível de dificuldade.”

Para quem escolheu essas modalidades, o interessante seria iniciar uma preparação, com trabalho proprioceptivo, pelo menos dois meses antes da viagem para a estação de neve.

Os especialistas resumem: o exercício para o corpo é como o óleo para uma engrenagem, garante um funcionamento melhor. Outra consequência que acompanha o “preguiçoso” é o aumento de peso.

No frio, o risco de engordar aumenta, já que, com a queda de temperatura, os alimentos calóricos são mais consumidos. Em muitos casos, a solução pode ser a introdução de uma dieta balanceada que não obrigue a um aumento na carga de exercícios.

O professor de educação física Pedro Bortz recomenda às pessoas que tenham baixa tolerância ao frio que busquem os horários mais quentes do dia para se exercitar, ressaltando que não faz mal praticar atividades f&ia,cute;sicas no frio, e os benefícios são praticamente os mesmos dos períodos mais quentes do ano.

Entre eles, a redução ou manutenção do peso corporal, melhora da captação de oxigênio pelas células, prevenção da osteoporose, auxílio no tratamento da hipertensão, aumento da força e da resistência muscular, melhora da captação da glicose pelas células (o que significa um bom auxilio para o tratamento do diabetes), entre outros.

Iniciantes

O ar seco e aumento da poluição, inerentes a essa época do ano, provocam maior irritação das vias aéreas superiores.

“Por isso, é preciso prestar atenção à hidratação, molhando a boca ou ingerindo algum líquido, mesmo em pequena quantidade, a cada 5 ou 10 minutos de atividade”, lembra Carlos Klein. Dessa forma, é possível diminuir a irritação provocada pelo clima do inverno.

A roupa ideal para ser usada é aquela com tecido leve e fácil de tirar, pois com o movimento da atividade, a temperatura corporal aumenta naturalmente e teremos a necessidade de remover o agasalho. As principais marcas esportivas têm roupas com estas características.

Quem decidiu, apesar das baixas temperaturas, iniciar uma prática esportiva no inverno, não deve se esquecer de passar pela avaliação médica de um especialista.

“Principalmente aqueles não passam por um check-up há muito tempo”, avisa Osmar Oliveira. De acordo com o especialista, a procura por um profissional capacitado tem o objetivo não de proibir a prática de exercícios, e, sim, orientar de forma adequada sobre qual tipo de exercício é o mais apropriado a cada pessoa. O médico avisa que as pessoas que abandonaram os exercícios há muito tempo devem recomeçar a prática gradativamente.

É importante manter-se agasalhado até que a temperatura corporal aumente. Caso necessário, use várias roupas e vá tirando aos poucos. Não use agasalhos de plástico, pois eles impedem a evaporação do suor e aumentam a temperatura corporal.

Atividade física e doenças respiratórias

Os médicos acreditam que os pacientes que mantém uma rotina regular de atividades físicas orientadas aumentam a sua resistência às crises e em muitos casos, podem levar uma vida normal. Ou seja, os pacientes com doenças respiratórias crônicas e graves, tornam-se mais saudáveis devido à atividade física.

A prescrição de atividade física para pacientes com problemas respiratórios só deve ser realizada após avaliação do grau de capacidade respiratória. A escolha das atividades, também sofre influência de dados técnicos, como: ventilação, frequência respiratória e volume de ar corrente.

As modalidades esportivas devem coincidir com os interesses dos pacientes, dando-se preferência àquelas que melhorem diretamente a habilidade de execução de suas atividades diárias e que possibilitem um melhor suporte de suas deficiências cardiorrespiratórias.

Devem-se priorizar exercícios que trabalhem diretamente a resistência muscular localizada nos grupos musculares dos membros superiores e da caixa torácica como um todo, a fim de que esses músculos se tornem suporte para uma expansão da capacidade pulmonar.

Cuidados ao praticar exercícios no frio

* Faça o aquecimento com alongamentos gerais, mas dê preferência àqueles grupos musculares que estarão diretamente envolvidos com seu exercício

* Não se esqueça do alongamento ao final da atividade

* Inicie em um ritmo mais lento ou mais ameno e vá acelerando ou aumentando a intensidade aos poucos, até atingir o seu ritmo mais forte

* Procure usar roupas quentes, adequadas para a prática

* Em caso de atividades aquáticas, natação ou hidroginástica, procure sempre dirigir-se ao recinto da piscina com um roupão ou toalha

,

* Consulte um médico antes de iniciar um trabalho físico

* Não faça exercícios sem orientação

* Praticar ao menos 30 minutos diários de qualquer atividade física já traz benefícios