maissaude3a221204.jpgNão são todos os adolescentes que se sentem confortáveis ao tirar a camisa no verão. Um razoável número deles sente vergonha do próprio corpo, por isso é mais comum do que se imagina escondê-lo por detrás de camisetas bem acima do tamanho normal. Engana-se quem pensa que é a barriga avantajada, resultado dos lanches fast foods, o que eles não querem mostrar. O que incomoda é o excesso de tecido mamário, aqueles "peitinhos" que insistem em aparecer, principalmente, na puberdade, mas que também podem surgir na idade adulta.

O cirurgião plástico José Carlos de Miranda, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, esclarece que esse problema, extremamente comum, conhecido como ginecomastia, tende a desaparecer naturalmente depois de alguns meses. Sem esperar por esse desaparecimento, se torna cada vez mais comum a realização de exames de ultra-sonografias ou mesmo mamografias entre pacientes do sexo masculino. "Esses exames são necessários inclusive para diferenciar a ginecomastia com a lipomastia, que é o depósito de gordura na região torácica", explica a radiologista Cristina Longo.

Uso de esteróides anabolizantes

Para Miranda, a ginecomastia é um problema fisiológico simples. Mas assusta e incomoda os meninos, porque as pessoas acham que só mulheres têm glândulas mamárias. O problema é mais comum no início da puberdade, quando há um desequilíbrio entre a produção de testosterona (hormônio sexual masculino) e estrógeno (hormônio feminino). De acordo com o médico, esse desequilíbrio se normaliza com o término da puberdade. Caso não exista uma regressão espontânea do distúrbio ou quando ele se manifesta em grau acentuado, demorando mais de um ano para desaparecer, o médico recomenda a cirurgia plástica para eliminar o problema. "A cirurgia é bastante simples, feita com anestesia local", explica o especialista.

Os endocrinologistas advertem que, se a ginecomastia não deve ser motivo de preocupação para adolescentes, em adultos ela pode significar a existência de algum tumor, problemas endócrinos ou de mau funcionamento do fígado. A mastologista Maria Elisabeth Mesquita atesta que o distúrbio também pode ser causado pelo uso indiscriminado de esteróides anabolizantes, fato que criou um novo grupo de portadores da doença. "Apesar de o aumento nas mamas causar grande desconforto aos adolescentes, outros efeitos que podem ocorrer são a presença de acne, retenção de líquidos, inchaço, dores nas juntas e elevação da pressão sangüínea", explica a médica.

José Carlos Miranda explica que a ginecomastia pode ser classificada em três tipos: gordurosa (quando há acúmulo de gordura na região peitoral), glandular (quando há aumento da glândula mamária masculina) e mista. Quando gordurosa, a ginecomastia pode ser tratada com uma lipoaspiração. Na glandular, é feita uma pequena incisão e retirado o tecido excedente com bisturi elétrico ou a laser. "Já em casos mistos, os mais comuns, os dois procedimentos são associados para alcançar melhor resultado", ressalta o cirurgião.