Do pequeno e histórico município alagoano de Piaçabuçu, a 130 quilômetros de Maceió e na divisa de Sergipe, partem embarcações com destino a uma das mais deslumbrantes paisagens do litoral brasileiro: o encontro das águas salgadas do imponente Oceano Atlântico com o doce e tranqüilo Rio São Francisco, o “Velho Chico”, fonte de vida e riqueza para tantos brasileiros com seus 2.700 metros de extensão.

Portanto, quem decide passar as férias em Maceió não pode deixar de dar uma esticada até a cidade de 20 mil habitantes e nome curioso, que significa palmeira grande em tupi-guarani (a única do País com dois cedilhas) e comemora em outubro os 150 anos da ilustre visita do imperador Dom Pedro II, o idealizador da transposição do rio, cuja polêmica se estende até hoje.

Neste século, a cidade foi escolhida como cenário de três filmes. O mais famoso é “Deus é brasileiro” (2002), dirigido pelo alagoano Cacá Diegues e que deu um grande impulso ao turismo na região.

O passeio rumo ao delta custa R$ 35 por pessoa e percorre os últimos 12 quilômetros do rio, que chega cansado ao final de sua trajetória desde sua nascente na Serra da Canastra, em Minas Gerais, até desaguar na praia do Pontal do Peba. A bordo de um barco a motor, o visitante está a 45 minutos de se deparar com uma verdadeira pintura a olho nu.

No balanço das águas turvas do Velho Chico, o turista enriquece sua bagagem cultural com as histórias e causos contados pelos guias de turismo. O simpático e animado Gilmar Santos, conhecido como Perereca, é um deles e discorre sobre cada uma das ilhas fluviais que margeiam o rio, cobertas por coqueirais, manguezais, até chegar às dunas do Peba, as únicas do estado e que se estendem por 22 quilômetros quadrados.

“Os moradores da região sobrevivem da pesca, do plantio do arroz, da mandioca e do coco, além, claro, do artesanato feito para os turistas”, conta o guia. Durante o caminho, surge a comunidade de Pixaim, um pedaço do Brasil que muita gente desconhece onde famílias remanescentes de um antigo quilombo habitam casas de palha e taipa.

A maioria não tem água encanada e poucas residências têm energia elétrica. Na margem sergipana, mais à frente, pode-se observar Cabeço, um vilarejo que começou a ser engolido pelo mar em 1992 e hoje está totalmente submerso, por causa do represamento do rio com a construção da Hidrelétrica de Xingó. Da vila, restou apenas o farol que parece boiar na água.

À medida que o barco se aproxima, a paisagem é de cair o queixo. O branco das areias que emolduram as dunas contrasta com o verde dos coqueiros e o azul do céu. No meio da areia, lagoas se formam com as águas das chuvas. Por isso, Perereca conta que o cenário é mutante, dependendo da quantidade da chuva que cai.

As embarcações ancoram perto da foz e, logo no desembarque, estão as barraquinhas de artesanato que oferecem ao turista imagens de cerâmica do santo que dá nome ao rio e tem a oportunidade de batizá-la nas águas.

“Tem que mergulhar três vezes e fazer três pedidos”, ensina Perereca que, com muito orgulho, conta que foi figurante no filme Deus é Brasileiro. Como Pontal do Peba, é uma Área de Proteção Ambiental (APA) por ser local de desova de tartarugas e pouso de aves migratórias, o visitante tem apenas uma hora para se banhar nas piscinas naturais e caminhar pelas dunas. Mas é o suficiente para guardar na memória a imagem de um verdadeiro paraíso brasileiro.

Em Maceió, hospede-se em Jatiúca

Localizado na Praia de Jatiúca e a poucos minutos das piscinas naturais de Pajuçara, o Hotel Brisa Tower é uma das opções de hospedagem em Maceió e foi projetado dentro do conceito “hotel design”, oferecendo conforto, requinte e modernidade aos hóspedes.

Todas as 108 acomodações são equipadas com televisão LCD 20 polegadas, ar-condici,onado, cofre individual, além de ter vista privilegiada para a orla da praia. A cada três andares, a decoração dos quartos é diferenciada num visual limpo e de muito bom gosto.

O café-da-manhã oferece comida típica da região, como a saborosa tapioca. O hotel também tem espaço para ginástica, além de baby copa, estacionamento privativo e, claro, uma piscina com vista para o mar. Serviço: o Brisa Tower situa-se na Avenida Álvaro Otacílio, 4201, bairro Jatiúca. Telefone: (82) 2122-4000. (JM)