A observação de pássaros, ou bird watching, é uma atividade cresce a cada dia em Cubatão. Até pouco tempo atrás, apenas biólogos se interessavam pela variedade de aves que transformaram os manguezais de Cubatão em local de acasalamento, ou ponto preferido de alimentação, em suas rotas migratórias.

É por isso que, segundo o secretário cubatense de Meio-Ambiente, Daniel Ravanelli Losada, a Cidade vem sendo cada vez mais procurada por turistas procedentes da Europa e da América do Norte.

Quem já praticou bird watching garante que não há terapia melhor que o prazer de ver e ouvir aves diferentes em seu habitat natural. O Brasil, que emerge como um mercado natural para esse tipo de turismo, conta com mais de 1.650 espécies catalogadas. Nesse universo, Cubatão é uma das regiões mais ricas do País em número de aves.
Conforme pesquisa do biólogo e escritor Robson Silva e Silva, o manguezal local tem – além do pássaro símbolo da recuperação ambiental, o guará vermelho – mais de 200 espécies de aves. Uma variedade superior à encontrada no Pantanal de Mato Grosso.

O guará-vermelho, que surpreende os visitantes desde a época do descobrimento do Brasil, é uma das aves mais exóticas da fauna brasileira. A espécie retornou ao manguezal de Cubatão em 1984. Na época, contava com apenas 86 indivíduos. Hoje, estima-se que o bando tenha mais de 550 aves, das quais 100 estão anilhadas (com identificação feita por um anel na perna). Por essa razão, a espécie foi escolhida como símbolo da recuperação ambiental do Município.