Um Carnaval verdadeiramente multicultural. Assim foram os dias de folia do Carnaval 2010 em Recife. Ao contrário do que muitos poderiam pensar, a folia na capital pernambucana não se resume ao frevo e ao maracatu. Durante os dias de festa, foram executados os mais variados ritmos dentre as mais de 340 atrações locais e nacionais, desde o irreverente grupo “Quanta Ladeira” e seu repertório de paródias ao som pop do NXZero.

Além de 16 polos de animação, o Carnaval de Recife contou ainda com quase 60 palcos espalhados pela cidade, onde se apresentaram 495 agremiações carnavalescas. Nos palcos, artistas consagrados como Dudu Nobre, Lenine, Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown, Benito de Paula. Dentre as atrações internacionais, Cabezas de Cera (México), King Coya (Argentina), Madensuyu (Bélgica) e Magic Slim (EUA).

“Este foi o melhor Carnaval de Recife dos últimos dez anos”, afirmou o prefeito do Recife, João da Costa, após os dias de folia do Carnaval Multicultural 2010. “O Carnaval do Recife é um sucesso, não só pelo esforço e organização da prefeitura e de seus parceiros, mas principalmente porque ele hoje é participativo. A população é ouvida, faz sugestões e participa do planejamento. O grande espetáculo da cidade do Recife é o povo, e esse é o nosso patrimônio, que a cada dia faz o melhor Carnaval do Brasil”, disse o prefeito.

João da Costa ressaltou ainda o crescimento do número de turistas na festa, incluindo a freqüência de pessoas também durante a Semana Pré, e o valor em dinheiro que foi movimentado no período (R$ 415 milhões).Segundo a Prefeitura de Recife, a ocupação hoteleira no período carnavalesco foi de 99%. Dados de pesquisas e da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-PE) apontaram um fluxo global de visitantes de 706 mil, entre hóspedes de hotéis, pousadas, casas de parentes e excursionistas, contra 665 mil em 2009. Em 12 dias de festa, informações coletadas em pesquisas e pelo trade turístico registraram uma movimentação financeira de R$ 415 milhões contra R$ 362 milhões no ano anterior. Os dados superam todas as expectativas iniciais da prefeitura. O Carnaval teve um incremento de 18%, dado que considera o comércio de bebidas e alimentos nos polos centralizados e descentralizados.

Somente o Bairro do Recife recebeu aproximadamente 200 mil pessoas por dia. O Polo Recife Multicultural (Marco Zero) atraiu uma média de 100 mil pessoas/dia, enquanto que os polos das Fantasias (Praça do Arsenal) e Mangue (Cais da Alfândega) receberam, juntos, uma média de público de 200 mil pessoas diariamente.

Antes e depois

Para quem gosta de folia, o Recife é um prato cheio, pois a folia da cidade não fica restrita aos dias que antecedem a Quarta-feira de Cinzas. Neste ano, a prefeitura criou o Corredor do Frevo e a Semana Pré Carnaval. “A Semana Pré permite que as pessoas já possam se esquentar para a festa, que os blocos possam fazer os ensaios e acertos”, diz o prefeito João da Costa.

No final de semana após a quarta-feira, acontece o Camburão da Alegria a festa de Carnaval dos policiais militares, civis e bombeiros. O evento, que acontece há 18 anos, deve reunir 300 mil foliões pela avenida Boa Viagem, com show de Almir Rouche e orquestra de frevo da Polícia Militar de Pernambuco.

Animação de Recife vai muito além do Carnaval

Fotos: Newton Almeida
Galo da Madrugada: maior bloco carnavalesco do mundo.

“Ei pessoal, ei moçada, o Carnaval começa no Galo da Madrugada”, mas, em Recife, a festa não termina exatamente na Quarta-feira de Cinzas. Repleto de atrações para todos os gostos, o Carnaval da capital pernambucana está a cada ano mais eclético, com event,os distintos e descentralizados, o que vem atraindo milhares de foliões de todos os cantos do País e até do exterior. Além dos tradicionais shows de Alceu Valença e Elba Ramalho, quem desembarca na terra do frevo e do maracatu também encontra atrativos no rico conteúdo cultural local, nas belas praias e na própria gastronomia nordestina, para estender a estada na cidade.

A certeza de que os dias de folia em Recife serão “curtos” chega logo no desembarque, quando o turista entra no clima do frevo e do maracatu, com os ritmos que são entoados por orquestras e dançarinos ainda no saguão do terminal aeroportuário. Além dos inúmeros shows e eventos alusivos ao Carnaval, o turista se sente convidado a esticar o período em Pernambuco por pontos turísticos que vão desde o recente, e polêmico, parque Dona Lindu (criado em homenagem à mãe do presidente Lula), passando pelas belas igrejas ao festivo Marco Zero da “Veneza Brasileira”.

Uma ótima opção é o passeio de catamarã. Durante o passeio, é possível mergulhar na história de uma das mais importantes metrópoles do Brasil, a começar pela ocupação holandesa no século XVII, cujos resquícios culturais podem ser conferidos até hoje na arquitetura urbana. Para conferir o roteiro, basta embarcar no Cais das Cinco Pontas, à margem da Bacia do Pina. O passeio, que dura pouco mais de uma hora, segue até o Marco Zero do Velho Recife e adentra no famoso Rio Capibaribe. O passeio de catamarã oferece cinco roteiros, dentre eles Rio Capibaribe, Recife e seus Bairros, Passeio pelos Manguezais, Ilha de Itamaracá e Coroa do Avião e Passeio Escolar pelo Capibaribe.

Personalidades como Jô Soares e Chacrinha ganham versões de três metros na Casa dos Bonecos, que funciona o ano todo em Olinda.

Outra boa pedida é o passeio de jangada na praia de Boa Viagem, que dura cerca de 40 minutos. Nesse período, o turista pode conhecer um outro ângulo do cartão-postal de Recife e suas piscinas naturais, que se formam nos arrecifes, durante a maré baixa. Ainda em Boa Viagem, uma tarde inteira seria pouco para conferir os produtos da feira típica mais antiga do Brasil, onde são comercializados, à beira mar, artigos de artesanato e moda regional.

Para os mais aventureiros, a sugestão é o mergulho no parque de naufrágios de Recife, onde podem ser visualizadas mais de 20 embarcações. Ainda no ritmo do Carnaval, na Casa dos Bonecos Gigantes, na Rua Bom Jesus, antiga Rua dos Judeus, no Recife Antigo, é possível conhecer personalidades como Jô Soares, Chacrinha e Michael Jackson em suas versões gigantes olindenses. Os bonecos de cerca de três metros de altura, que no Carnaval encantam os foliões nas ladeiras de Olinda, ficam expostos durante o ano inteiro.

Gastronomia

Considerado o principal polo gastronômico nordestino, com cerca de dez mil bares e restaurantes, segundo a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, Recife conta com inúmeros estabelecimentos que oferecem os mais variados cardápios e para todos os gostos.

Além da tradicional tapioca, a carne de bode e o arrumadinho também são bastante apreciados. Vale a pena dar um pulinho ao Mercado da Boa Vista, onde se pode provar a carne de sol e a macaxeira com charque, e ao Mercado da Madalena e provar o cuscuz.

Ir a Recife e não provar a galinha cabidela, ou os demais atrativos do buffet do Parraxaxá, no bairro de Boa Viagem, é o mesmo que ir ao Egito e não ver as pirâmides. O mesmo prato também faz sucesso no cabidela no Bar da Geralda, no Morro da Conceição.

O melhor

Ainda que fossem listados todos os atrativos de Pernambuco, o grande diferencial do estado continua sendo o povo. O sotaque bonitinho, quase um catarinense em slow motion, encanta. Para este repórter, é agradável aos ouvidos e funciona como um toque especial ao esforço em agradar quem desembarca por lá. O pernambucano, com sua rica cultura regional, é a cereja no bolo de um Carnaval que dura o ano inteiro.

O jornalista viajou a convite da Prefeitura de Recife.