As mulheres são maioria na terceira idade. O último censo do IBGE revelou que 55,1% das pessoas com mais de 60 anos no Brasil são mulheres. Os homens são 44,9%, em um universo de 14,5 milhões de brasileiros nesta faixa etária. A expectativa de vida das mulheres é, em média, de 72,6 anos, aproximadamente sete anos mais que a dos homens.

No segmento de viagens, elas também predominam, aquecendo e impulsionando o turismo brasileiro. De acordo com a Associação Brasileira das Agências de Viagem (Abav), 20% da receita gerada pelo setor de turismo vem da terceira idade.

Em Curitiba, de acordo com a Diretoria de Turismo, as mulheres representam 34% do total de 1.420.000 turistas que visitaram a cidade em 2001, ano que foi realizado o último censo. E só não é mais porque a metade dessas pessoas vem a Curitiba a negócios, campo em que predomina ainda o público masculino.

Segundo o diretor de Turismo de Curitiba, Antônio Azevedo, as mulheres têm influência fundamental no que diz respeito ao turismo de lazer. “80% das decisões em relação ao turismo de lazer partem da mulher. É ela quem influencia o marido a viajar para determinado lugar, vai à agência e pede informações”, constatou Azevedo. “Além disso, as mulheres estão muito presentes também no trade turístico”, lembrou.

Terceira idade

Na Apel, empresa paulista especializada em turismo cultural para a terceira idade, mais de 85% dos clientes nesse setor são mulheres. A maioria das que utilizam o serviço tem entre 68 e 72 anos. “Os homens da terceira idade são mais reservados. Em geral, preferem mais a tranqüilidade ao agito de uma viagem, ao contrário das mulheres, que têm uma enorme disposição”, comenta Helena Mirabelli, diretora da Apel.

As mulheres formam um público fiel e fácil de ser trabalhado. Por terem mais tempo livre, viajam durante todo o ano, inclusive na baixa estação. Seu grande objetivo nas viagens é a aquisição de cultura e de informações históricas sobre o local visitado, além, claro, a busca de muita diversão.

Helena conta que não só de solteiras ou viúvas se constitui a massa de mulheres clientes da agência. “Muitas de nossas clientes também são casadas, que deixam seus maridos em casa e partem, com outras amigas, para a excursão.” Não existem, em geral, roteiros preferidos. “Elas viajam por todo o Brasil. Gostam de excursões culturais pela própria cidade e de locais históricos, de Minas Gerais até Fernando de Noronha”, finaliza a diretora da Apel.