A lei que obriga as escolas de Ensino Médio a oferecerem aulas de espanhol está abrindo novas oportunidades de emprego. Na agência de intercâmbio Sem Destino, foi constatado um aumento de 38% na procura por pacotes de intercâmbio para os países de língua espanhola no mês de agosto em relação ao mesmo período de 2004. ?A polêmica da obrigatoriedade do ensino de espanhol e a falta de professores incentivou o mercado de intercâmbio, já que esta é a maneira mais rápida e econômica de se credenciar para ensinar o espanhol?, afirma Hen-rique Riedhorst, gerente da Sem Destino.

Segundo Riedhorst, os países mais procurados são os da América do Sul. ?Os professores estão optando pela Argentina e pelo Chile devido ao custo mais competitivo. Um pacote de intercâmbio de um mês para o Chile chega a custar 25% menos do que um pacote semelhante para a Espanha, sem contabilizar as despesas com passagem aérea?, avalia.

A lei

A Lei 11.161 foi sancionada no início de agosto e obriga as escolas de Ensino Médio públicas e particulares a oferecerem aulas de espanhol. Para o Ensino Fundamental II (5.ª a 8.ª séries), as escolas podem optar em oferecer ou não a disciplina. A matrícula é facultativa para o aluno.

Porém, as escolas estão enfrentando dificuldades para colocar a lei em prática devido ao baixo número de professores qualificados em língua espanhola. De acordo com uma estimativa feita pela Secretaria de Educação Básica do MEC com base no Censo Escolar de 2003, o déficit de docentes para essa área chega a 19.800. A nova lei deve ser implantada gradativamente em cinco anos.

Sem Destino: 0800-600-4001 e www.semdestino.com.br.