Em 2002, 280 mil brasileiros
visitaram a França.

A França foi, em 2002, o país mais visitado do mundo, registrando 76,7 milhões de turistas estrangeiros. Deste total, 80% são de origem européia, principalmente italianos, espanhóis, portugueses e gregos. Segundo Vincent Toulotte, diretor da Maison de la France no Brasil, esse aumento compensou, de certa maneira, as baixas de 19% verificada no mercado norte-americano e 2% no mercado japonês.

Apesar de ser o líder mundial em número de chegadas, o fato da mudança de clientela, entre outros fatores, afetou o número da receita turística, colocando a França em posição inferior aos Estados Unidos e à Espanha.

“A explicação para esse paradoxo está no fato de a França ser o país pelo qual vários turistas europeus, vindos em grande maioria do norte da Europa (Grã-Bretanha, Alemanha, Países Baixos, Bélgica), transitam para chegar ao seu destino final que invariavelmente é o sul da Europa”, explica Toulotte.

Por sua posição geográfica, a França se transforma em uma passagem obrigatória para numerosos turistas europeus, cujo destino final pode ser, por exemplo, a Itália ou a Espanha. O diretor informa que, em média, um a cada cinco europeus só faz um pernoite na França. Metade dessas estadas tem uma duração inferior ou igual a três noites.

O conjunto desses turistas que transitam pela França, cujos pernoites são limitados, aumentam o número de entradas, mas pesam pouco na receita.

Brasileiros

O Brasil está na décima primeira posição no ranking mundial de turistas estrangeiros na França, com um número de turistas enviados semelhante ao de países como o Canadá, a Áustria e a Austrália.

Além disso, as despesas dos brasileiros na França não baixaram. O gasto médio de um brasileiro hoje é cerca de 250 euros por dia, incluindo refeições e hospedagem. Essa média o coloca entre os oito principais países, com gasto individual mais alto.

O tempo de estada na França também não se alterou, ficou entre dez a doze dias. “No entanto, em razão das turbulências econômicas, políticas e monetárias que o Brasil vivenciou nos últimos dois a três anos, verificou-se uma queda no número de turistas”, lembrou.

De 350 mil viajantes em 2000, o Brasil enviou à França 280 mil turistas em 2002.

Verificou-se também um forte crescimento de oferta no segmento de turismo de negócios com destino à França, comercializados por profissionais brasileiros.

Ainda assim, mesmo com a baixa de 12% a 15%, a França continua a crescer como destino turístico, ajudada por fatores como a diminuição de viagens para os Estados Unidos, que normalmente é o mercado preferido dos turistas brasileiros.

Em 2003, todas as perspectivas estão suspensas devido aos eventuais conflitos mundiais e às suas conseqüências em relação à economia e às viagens internacionais.