Buscando exclusividade aos clientes estrangeiros, trabalhando em cima de promoções comerciais e apostando em nichos específicos do mercado de turismo. Com essas propostas, o Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) está definitivamente colocando o Brasil na rota dos turistas estrangeiros. Essas iniciativas, que se iniciaram em 2002, começam a dar frutos e os números comprovam a eficácia desse trabalho. Os indicadores de resultado do turismo brasileiro em 2002 e 2003 foram apresentados pelo presidente da Embratur, Eduardo Sanovicz, na semana passada, durante a entrega do 12.º Troféu Lagoa Mar, organizado pela Revista Turismo e Negócios, em Maceió, Alagoas.

O evento, que premia algumas das principais personalidades do turismo no Brasil, teve a participação do ministro do Turismo, Walfrido Mares Guia, do governador de Alagoas, Ronaldo Lessa e do governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima.

Segundo os dados da Embratur, de 2002 para 2003, a entrada de estrangeiros no País aumentou 8,12%, chegando a 4.090.590. O desembarque de vôos internacionais também cresceu, com um aumento de 16,10%. Mas o que mais chama a atenção é o crescimento de entrada de dólares no Brasil deixados pelos turistas. Somente nos três primeiros meses deste ano, o número foi superior aos dois anos anteriores, apresentando um aumento de 52,58%. Isso comprova que a estratégia de divulgação do Brasil no exterior está tendo efeito.

Eduardo destaca a participação brasileira nas feiras do turismo internacionais como ponto de partida para o crescimento do negócio. Aliada às promoções comerciais e à divulgação de lugares que atendam clientes exclusivos, o estande brasileiro nas feiras está se tornando o carro-chefe de todo esse processo. “Quando mostrávamos um pacote para o Brasil não adiantava, porque era muita coisa para ser mostrada. Eram muitas opções e o turista ficava perdido e preferia viajar para outro país que mostrasse realmente o que lhe interessava”, explica.

“Agora, depois de um trabalho de pesquisa, estamos trabalhando com nichos específicos. Turismo de negócios, de lazer, de esportes, cultural, entre outros. Isso sim está chamando a atenção lá fora. Exclusividade para aquilo que interesse ao cliente, e como dá para ver, está dando certo”, completa Eduardo.

Rubens Chueire Júnior

viajou a convite da Revista Turismo e Negócios.