Vista da praia de Bombinhas a partir do mar.

Santa Catarina tem praias fantásticas, de extrema beleza e infra-estrutura. Por isso, todos os anos, o Estado fica repleto de turistas que invadem suas praias, consideradas por muitos as mais belas do Sul do Brasil.

Dentre as prediletas pela maioria dos turistas que se dirigem a Santa Catarina estão as praias do município de Bombinhas, localizado a cerca de 65 quilômetros de Florianópolis e a 260 quilômetros de Curitiba. Elas caíram no gosto dos turistas por serem praias de areias brancas e águas muito claras, tão limpas que é possível enxergar os pés mesmo com água pela cintura. Estas características já bastariam para conquistar milhares, milhões de pessoas que procuram locais, além de bonitos e tranqüilos para passar as férias, adequados para tomar banho de mar. Mas além disso, outras características fazem do município o predileto por grupos de turistas com interesses específicos.

Bombinhas tem praias bastante calmas, adequadas para famílias com crianças e outras pessoas que querem descansar e tomar banho em mares mais “confiáveis”. É o caso das praias de Bombas, do Retiro (Ingleses), da Conceição, da Tainha, Morrinhos e Zimbros. Por outro lado, algumas praias enchem os olhos dos surfistas que se encantam com as grandes ondas. Entre elas estão as praias de Quatro Ilhas e Mariscal. A praia de Bombinhas, que tem o mesmo nome do município, também é recomendada para o banho. Lá fica o centro administrativo da cidade, onde se pode encontrar comércio mais variado. A mais extensa de Bombinhas é a praia de Canto Grande, onde os maricultores fazem o beneficiamento do crustáceo visando a exportação. Outras praias são a do Embrulho (de onde saem os barcos para passeio e mergulho), Sepultura (água limpa, areia fina e macia, excelente lugar para mergulho amador, seu acesso é por trilha), praia do Ribeiro (pequeno recanto, ótimo para mergulho de snorkel, situada entre as praias de Bombas e Bombinhas) e Lagoinha (com estreita faixa de areia, é boa para praticar mergulho e também para o banho).

O município tem ainda praias praticamente desertas, às quais se chega por trilhas ou pelo mar. São as praias da Galheta, Triste, da Solidão, Vermelha, do Cardoso, da Lagoa e do Caetê, todas com mares predominantemente calmos.

Mergulho

Bombinhas oferece ainda as melhores águas para mergulho. Não é para menos que o município é chamado de a capital ecológica do mergulho e dos esportes subaquáticos de Santa Catarina.

Lá há oito escolas de mergulho, que oferecem aulas teóricas, práticas, equipamentos, barcos e pessoal capacitado. Paranaenses e gaúchos são os mais assíduos freqüentadores durante o ano todo, mas a cidade recebe mergulhadores de todo o País. Entre as escolas de mergulho estão a Pata da Cobra e a Submarine. O sucesso da atividade entre os paranaenses é tão grande que 60% dos alunos da Pata da Cobra são de Curitiba, o que fez com que a escola criasse uma filial na capital paranaense.

Para o mergulho, as pessoas se reúnem no trapiche situado à praia do Embrulho, onde termina o município de Bombinhas, e seguem para a Reserva Biológica Marinha do Arvoredo, criada em 1990 com o objetivo de preservar sua biodiversidade e condições ambientais. Formada pelas ilhas do Arvoredo, Galé, Deserta e Calhau de São Pedro, somando 17,6 mil hectares, a reserva é um dos grandes patrimônios naturais e arqueológicos do litoral brasileiro. Sambaquis e inscrições rupestres mostram que houve ocupação humana no local quatro mil a dois mil anos atrás. Devido ao encontro das correntes do Brasil e das Malvinas, a reserva está situada em uma região de grande biodiversidade marinha, pois abriga espécies típicas de ambos os climas ou massas d?água. A região é um pólo de criação e dispersão de espécies de interesse econômico, como, por exemplo, peixes, sobretudo garoupas e sardinhas; moluscos, como lulas e vieiras, e crustáceos, como lagostas.

A Ilha do Arvoredo é recoberta pela Mata Atlântica, abrigando também uma grande variedade de espécies da flora e fauna terrestres. A mata oferece abrigo e alimento a pequenos mamíferos típicos do continente, como gambás, morcegos e roedores, e às aves, como o gavião-chimango e o sabiá de coleira. A Ilha Deserta, a cerca de três quilômetros da do Arvoredo, é a menor da reserva. Apesar do nome, a ilha é rica em vida, é sobrevoada e freqüentada por uma grande quantidade de aves marinhas. A Ilha de Galé, situada no limite norte da reserva, é bem menor que a do Arvoredo e, assim como as outras duas, não tem praias. Em seu solo rochoso nasce uma vegetação arbustiva e cerrada, sobre a qual as fragatas (Fregata inagnificens) constroem seus ninhos, fazendo da ilha um dos mais importantes locais de acasalamento da costa brasileira.

Trilhas ecológicas

Além disso, o município está organizando projetos de incremento turístico nos atrativos já existentes. Dentre eles está o projeto das trilhas ecológicas, que deverão ser implantados a partir de uma parceria com a iniciativa privada. Bombinhas tem três trilhas já traçadas: do Morro do Macaco, que liga as praias de Canto Grande à da Tainha; a da Galheta, localizada na ponta da praia de Bombas, e a trilha de Zimbros, que vai até Santa Luzia e passa por quatro praias desertas.

O projeto prevê a colocação de placas de sinalização e informativas sobre as árvores e animais nativos do local, lixeiras e a adequação de locais estratégicos para observação da natureza e descanso dos turistas. Segundo o diretor de turismo de Bombinhas, Ildefonso Bayer Reichmann, a intenção é formar guias para acompanhar os turistas enquanto percorrem as trilhas. A trilha do Morro do Macaco será a primeira a receber as melhorias.

Para este segundo semestre, o município reserva muitos atrativos antes de começar a temporada de verão 2002-2003. São eventos esportivos que acontecerão em meio à natureza, um prazer para quem irá participar e um espetáculo para quem irá assistir. Este mês, acontecerá uma das etapas do Campeonato Catarinense de Jet Ski; em outubro, o Encontro Internacional de Mergulho Ecológico; em novembro, Minicircuito Oceânico Regata Florianópolis-Bombinhas (dia 23) e Regata Bombinhas-Itapema-Porto Belo (dia 24) e, em dezembro, a Regata de Optimist e Laser. Em setembro, a Prefeitura e a Associação de Hotéis vão lançar um curso de observação de pássaros.

Bombinhas estrutura seu potencial

Apesar de pequena – população de 8,6 mil habitantes -Bombinhas tem uma boa infra-estrutura para o turismo por ser a atividade a principal de sua economia. Quem esteve na cidade há mais de dois anos e volta agora certamente se surpreenderá com o número, variedade e boa qualidade dos locais para hospedagem que a cidade oferece.

Atualmente, são aproximadamente 4,5 mil leitos, divididos em hotéis, pousadas e residenciais para locação. Isso tudo para atender o grande fluxo turístico que, se ocupasse esta pequena cidade num mesmo período, aumentaria em quase dez vezes a população local.

Segundo dados da Secretaria de Turismo de Bombinhas, o município recebe 84 mil visitantes durante a alta temporada de verão. Um levantamento feito pela prefeitura, tendo como base o mês de fevereiro deste ano, mostrou que 38,9% dos turistas que estiveram em Bombinhas naquele mês eram gaúchos, 27% paranaenses, 15% catarinenses, 12% paulistas e o restante de outros Estados e países.

Assim como outros municípios turísticos de Santa Catarina, Bombinhas também sentiu os reflexos da crise da Argentina. Depois de Balneário Camboriú, a cidade era uma das que mais recebiam argentinos no verão.

Por isso, a ocupação hoteleira em Bombinhas caiu de 83%, registrada na temporada 2000/2001, para 53% na última temporada. A fim de recuperar seu fluxo turístico, representantes do município já estão se mobilizando.

Já há alguns meses, eles estão fazendo visitas e participando de feiras de turismo pelo interior dos estados do Paraná – Maringá, Cascavel e Londrina – São Paulo e Rio Grande do Sul, divulgando o potencial turístico da região.

Já se pensa na criação de um Convention & Visitors Bureau para ajudar na captação de eventos para a cidade, a fim de firmá-la, definitivamente, no roteiro turístico de lazer e de negócios do Sul do país e amenizar o problema da sazonalidade.

Para poder atender adequadamente a demanda de turistas de negócios, além dos hotéis, que oferecem salas para convenções de pequeno e médio portes, Bombinhas vai ganhar um centro de convenções com capacidade para oitocentas pessoas. Este é um projeto da iniciativa privada e deverá estar concluído nos próximos meses.

Outra proposta do município que visa sua maior divulgação como destino turístico é o trabalho conjunto com a cidade de Canela, no Rio Grande do Sul. Ao contrário de Bombinhas, Canela é destino mais procurado no inverno por se tratar de uma cidade situada em região serrana.

Como cidades-irmãs, Bombinhas e Canela estão trabalhando para se divulgar mutuamente. Esta parceria existe há dez anos, mas está sendo fortalecida este ano.

Hospedagem

Bombinhas tem hoje opções de hospedagem para todos os gostos e bolsos. A cidade conta com hotéis de frente para o mar até pousadas mais simples e um pouco mais afastadas. Alguns deles são novos, funcionando há menos de um ano.

Dentre os hotéis está o Morada do Mar, inaugurado em dezembro do ano passado. As areias da praia de Bombas são a extensão da área de lazer do hotel, que dispõe de quarenta apartamentos, com banheiros privativos e sacada com vista para o mar. Dois deles são adaptados para receber hóspedes com necessidades especiais.

O hotel tem uma sala modular de convenções com capacidade para oitenta pessoas e os apartamentos são equipados para o turista que precisa trabalhar.

Também à beira-mar de Bombas, está a Pousada Garatéia, que tem apartamentos completos, com cozinhas equipadas microondas.

Sua infra-estrutura compreende sala de jogos, salão de convenções, miniquadra, solarium com piscina aquecida e quiosque próprio na praia. Já a Pousada Bela Sereia está a uma quadra e meia da praia de Bombas. Conta com dois tipos de acomodação: de pousada, com apartamentos para casal com banheiro privativo, tevê e ventilador de teto ou de apart-hotel, que são quartos com ar condicionado, copa/cozinha com geladeira, fogão, tevê, ventilador, sofá-cama. A Bela Sereia oferece ainda churrasqueira comunitária.

Já na praia de Bombinhas, está a Pousada Villa Paradiso, constituída por unidades mobiliadas com características individuais, ideal para famílias. Cada unidade tem móveis rústicos, ar condicionado, tevê, varanda com churrasqueiras, deques com vista para o mar, hidromassagens (internas e externas) e bangalôs ao ar livre inspirados na ilha de Bali.

O hotel Marbelo, localizado a uma quadra do mar de Bombinhas, é o mais tradicional da cidade. Com doze anos de funcionamento, o hotel está passando por uma renovação na decoração dos apartamentos. O hotel tem piscina térmica coberta, sauna úmida, bar, salão de convenções, sala de ginástica e de jogos, sala de leitura e garagem.

A vista privilegiada e extensa do mar é o principal diferencial da Pousada das Palmeiras, em Bombinhas. Por ficar no alto, o turista tem uma vista ampla do mar e da natureza que o circunda. São chalés em estilo colonial, com tevê e vídeo, cozinha completa e varanda com rede. Tem piscina de frente para o bar e restaurante.

A Pousada Vó Ítala fica de frente à praia de Canto Grande. Oferece apartamentos com sala, copa/cozinha, dormitórios e banheiro. Eles têm sacada com churrasqueira e garagem. Na praia de Mariscal, a Pousada Atalaia do Mariscal oferece apartamentos e cabanas completas para até cinco pessoas. Tem piscina, restaurante, bar, quadra de futebol suíço e churrasqueiras. Inaugurado em novembro de 2000, a Vila do Farol é um dos hotéis que mais chamam a atenção dos turistas que passam pela avenida principal de Bombinhas. É que o hotel é formado por pequenos prédios bem coloridos, em estilo mediterrâneo, que formam uma minivila, o que justifica o nome do empreendimento. São 56 apartamentos com vista para o mar e isolamento acústico, ar condicionado, tevê, cofre e cozinha equipada com fogão e microondas.

Do mesmo grupo de empreendedores, o hotel Vila do Coral fica ao lado do primeiro, também na praia de Bombinhas. Dispõe de 28 apartamentos equipados com tevê e ar condicionado, com vista para o mar. O hotel tem ainda sala de tevê e jogos de mesa, pequena biblioteca e estacionamento.

Gastronomia

A gastronomia de Bombinhas é baseada na diversidade marinha de seu litoral. No cardápio dos restaurantes e bares, é comum encontrar peixe frito, assado, caldeirada de peixe, camarão ao bafo, marisco cozido, sopa de siri, isca de peixe e outros que podem vir acompanhados de pirão de farinha de mandioca. Quem quiser degustar uma paella bastante farta em frutos do mar, Bombinhas também tem. Um dos locais que servem o prato é o restaurante Berro d´água, localizado em frente ao mar de Zimbros. O telefone é (47) 393-3666 ou 9113-3596.

Mas se a vontade é de comer pizza, por exemplo, o restaurante Vila do Engenho oferece o prato, feito em fogão à lenha. Mas a pizza não é o principal atrativo deste restaurante, que serve também diversos pratos à base de frutos do mar e petiscos. A Vila do Engenho é também um atrativo cultural. Além de ser um lugar encantador, proporciona ao turista fazer uma viagem no tempo pois lá é possível ver como era produzida a farinha de mandioca, o açúcar e o melado da cana em um engenho com tração animal. Na área do restaurante ainda há uma olaria em plena produção de peças de cerâmica, onde o visitante pode pôr as “mãos na massa” ensinado por um artesão. A Vila do Engenho fica à Estrada Geral, 185, no início da praia de Bombinhas. O telefone é (47) 369-2897 ou 9979-2073.

Artesanato

O artesanato na cidade é variado e pode ser visto em várias lojinhas por toda a avenida principal de Bombas e Bombinhas. A atividade pesqueira incentiva a fabricação artesanal de redes, tarrafas, barcos, remos e balaios, por exemplo. Nestas lojas, o turista encontra objetos de cerâmica, pintura, entalhe em madeira, quadros náuticos, trabalhos em couro, miniaturas de barcos e outros.(D.S.)

Informações turísticas

Os preços dos hotéis e pousadas variam conforme a época do ano. Para obter informações sobre preços, basta telefonar ou acessar o site dos empreendimentos.

Hotel Morada do Mar: (47) 393-6090 – site www.moradadomar.com.br;

Pousada Bela Sereia: (47) 369-1300 – site: www.qlitoral/bombinhas/bombas/pousadas;

Pousada Garatéia: (47) 393-6083 – site www.pousadagarateia.com.br;

Villa Paradiso: (47)369-0005 – site www.villaparadiso.com.br;

Hotel Marbelo: (47) 369-1455 – site www.marbelo.com.br;

Pousada Cantinho Vó Ítala: (47) 393-3002/ 9992-9186;

Pousada Palmeiras: (47) 369-2222 – site bbs2.sul.com.br/pousada;

Pousada Atalaia do Mariscal: (47) 393-3011 – site www.atalaiadomariscal.com.br;

Pousada Vila do Farol: (47) 393-9000 – site www.viladofarol.com.br;

Pousada Vila do Coral: (47) 393-9333 – site www.viladocoral.com.br.

O telefone do posto de informações turísticas do município de Bombinhas é o (47) 369-2350, ramal 208.

Diversão em alto mar

Quem nunca mergulhou com equipamentos e em alto mar também pode participar dos mergulhos em grupo oferecidos em Bombinhas. As aulas são ministradas todos os fins de semana, durante o ano todo. De janeiro a abril, elas acontecem diariamente, conforme o número de interessados.

Os barcos saem da praia do Embrulho. O batismo (primeiro mergulho) é feito a cinco metros de profundidade e as aulas para os mais experientes acontecem a trinta metros de profundidade.

Pela escola Submarine, por exemplo, o preço da aula é R$ 80 por pessoa, incluindo, além do acompanhamento do instrutor, o equipamento completo (cilindro, roupa) e a saída de barco.

Além deste tipo de mergulho, há também os feitos nas praias, apenas com snorkel.

Mais informações sobre os mergulhos podem ser obtidas na Submarine, pelo telefone: (47) 369-2867 ou 369-2223.

Para os menos aventureiros há os passeios de escuna. Eles saem do trapiche da praia do Embrulho, em Bombinhas, às 10h, e seguem rumo à Ilha João da Cunha, em Porto Belo, retornando às 16h.

Na alta temporada, estão abertos os restaurantes e toda a infra-estrutura da ilha.

O preço deste passeio é R$ 25 por pessoa; para crianças de até seis anos é gratuito. Em baixa temporada, o lanche está incluído neste preço, já que os estabelecimentos estão fechados na ilha.

Além dos restaurantes, a ilha abriga a Casa da Aventura da família Schurmann, uma espécie de minimuseu onde estão alguns objetos trazidos pela família de suas viagens em alto mar.

Mais informações sobre os passeios de escuna podem ser obtidas pelo telefone: (47) 369-2341, das 8h às 21h. (D.S.)