Boa infraestrutura hoteleira e serviços de qualidade são dois itens apontados pelas operadoras de turismo do País para que um destino turístico seja considerado ideal. Além disso, investimento em divulgação e no bom atendimento ao turista são itens indispensáveis para colocar um destino entre os mais cotados.

Estes foram alguns dos resultados obtidos em estudo encomendado pelo Instituto Marca Brasil para nortear o trabalho de criação dos cinco roteiros integrados do projeto Rede de Cooperação Técnica para Roteirização. O instituto faz a gestão do projeto em parceria com o Ministério do Turismo e o Sebrae.

Dezenove operadoras foram ouvidas na pesquisa, que permitiu traçar um perfil do cliente que compra os produtos turísticos brasileiros. O público-alvo destacado pelas operadoras é composto em sua maior parte por casais e famílias com filhos e, em menor número, por grupos da terceira idade, estudantes e turistas de negócios. A faixa etária desses consumidores está situada entre 30 e 50 anos, em média, e a maior parte deles possui nível superior e alto poder aquisitivo.

Destinos

O estudo mostrou que os destinos nacionais mais vendidos são Salvador, Fernando de Noronha, Lençóis Maranhenses, Rio de Janeiro, Foz do Iguaçu, Amazônia, Pantanal, Manaus, Minas Histórica e Serra Gaúcha.

De acordo com as operadoras, esses destinos são os mais procurados porque recebem maior divulgação, têm boa estrutura dos fornecedores locais, bom atendimento e belezas naturais.

Segundo as operadoras, Fernando de Noronha é procurado tanto por brasileiros como por estrangeiros; Foz do Iguaçu e Bonito são destinos mais procurados por brasileiros; enquanto que Amazônia, Pantanal, Minas Histórica, Parati e Búzios e demais destinos com maior identidade cultural são preferidos pelos estrangeiros ou clientes da terceira idade.

Em geral, os estrangeiros apreciam pacotes básicos, que mostram cidades importantes do Brasil, bastante divulgadas no exterior, como Salvador, Rio, São Paulo e Manaus. Os turistas latino-americanos, em especial, preferem as praias do nordeste.

Quem viaja em família prefere se hospedar em resorts de praia, enquanto os casais são adeptos dos roteiros românticos de serra, compondo o público predominante em destinos que exploram os segmentos de ecoturismo, esporte e aventura.

A rede de cooperação, agora, iniciará a construção do planejamento estratégico de cada roteiro, baseado nos resultados das pesquisas e também nas informações coletadas por meio dos grupos focais direto com o consumidor final.

Comitês gestores já foram formados em todas as regiões que serão beneficiadas pelo projeto. Os grupos ficarão responsáveis pela gestão dos roteiros integrados, em conjunto com representantes do Sebrae e das secretarias de Turismo de cada território.

Serão criados cinco novos roteiros integrados: na região sul, a ideia é proporcionar o desenvolvimento do roteiro Aparados da Serra, beneficiando Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

A região sudeste tem como proposta estruturar um trajeto rodoviário entre Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo. No centro-oeste, a Travessia do Pantanal ligará Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. No norte, um roteiro integrará Amazonas e Roraima. O roteiro Civilização do Açúcar contemplará Pernambuco, Paraíba e Alagoas.