Dunas às margens do Rio São Francisco.

Com o frio começando a imperar no Sul do País, uma boa opção para quem tira férias nos meses de outono e inverno e não abre mão do calor é visitar o Nordeste brasileiro. No Estado de Alagoas encontram-se praias belíssimas, com águas bastante claras e diversas opções de lazer. Tanto no litoral sul quanto no litoral norte, existem praias com atrativos para todos os gostos e idades.

Litoral sul

O passeio pelo litoral sul pode começar pela praia de Pontal do Peba, que nasceu como Pontal do Ipeba, fica na foz do Rio São Francisco e é considerada o maior povoado de Piaçabuçu, município que ficou famoso por servir de cenário ao filme Deus é brasileiro. Está localizado a 184 quilômetros de Maceió.

No lugar, o turista pode visitar a Área de Preservação Ambiental (APA) de Piaçabuçu, criada em 1983. Lá, o Ibama realiza uma série de ações para proteger tartarugas-marinhas, a vegetação existente nas dunas e possibilitar a vivência harmoniosa do ser humano com a natureza.

A área de dunas costuma ser o principal atrativo do povoado. Ao contrário de outras regiões de dunas existentes no Nordeste, em Pontal do Peba não são permitidos passeios de bugue. Quem deseja tirar fotos e escorregar sobre os grandes morros de areia precisa fazer uma boa caminhada. Porém, o esforço vale a pena, sendo que a maioria dos turistas parece voltar à infância ao chegar ao alto dos morros.

Para evitar insolação, os guias aconselham os visitantes a levarem filtro solar, chapéu, camisetas e garrafinhas de água mineral.

Depois do passeio às dunas, nada como relaxar fazendo um vôo panorâmico sobre a foz do São Francisco. Em Pontal do Peba, pelo preço de R$ 20, o turista pode fazer um vôo de pára-quedas, puxado por um bugue, por dez minutos e a cerca de cinqüenta metros do solo. Do alto, é possível visualizar as dunas, os coqueirais e as águas cristalinas.

A cerca de quarenta quilômetros de Maceió é indicado visitar a praia do Gunga, considerada uma das dez praias mais bonitas do Brasil e famosa por ter sido cenário de um dos comerciais do chocolate Prestígio. O acesso ao Gunga, nome que vem de um grito de guerra de índios canibais que viviam na região, pode ser feito por terra ou pelo mar (de escuna, ao preço médio de R$ 15), a partir da Barra de São Miguel.

Quem opta em visitar a praia de carro ou ônibus pode parar na estrada e visualizar o Gunga a partir de um mirante, localizado no alto de um morro. Na praia, um bom programa é fazer longas caminhadas ou ficar à sombra dos coqueiros, sendo que alguns têm apenas dois metros de altura.

Em sentido a Maceió, a cerca de dez quilômetros do Gunga, vale a pena dar uma paradinha na praia dos Franceses que, devido a seu mar agitado, é muito procurada por surfistas em busca de aventura. Lá, pode-se fazer passeios de barco com paradas para banho e visitar lojas de artesanato.

Litoral norte

No litoral norte, a praia mais conhecida é a de Maragogi, a 127 quilômetros de Maceió e quase na divisa com o Estado de Pernambuco. No caminho para lá, passa-se pela comunidade de Riacho Doce – que inspirou José Lins do Rego e há alguns anos deu nome a uma minissérie exibida pela Rede Globo – e Guaxuma – onde o tesoureiro e coordenador da campanha do ex-presidente Fernando Collor, Paulo César Farias, e sua namorada, Suzana Marcolino, foram assassinados há cerca de cinco anos.

Chegando a Maragogi, é imperdível o passeio às piscinas naturais, conhecidas como “galés” de Maragogi e situadas na Área de Preservação Ambiental Federal Costa dos Corais. Localizadas a cerca de seis quilômetros da praia, as galés são o principal atrativo turístico da região.

Ao mergulhar nas águas cujas colorações variam do verde-claro ao azul-escuro, o visitante pode vislumbrar corais e recifes de formas variadas, além de dezenas de cardumes de peixes coloridos, sendo que os mais comuns são os “sargentinhos”.

O passeio de barco até as piscinas, cuja profundidade varia de dezesseis centímetros a 1,5 metro, custa em torno de R$ 20.

Em Maragogi, os turistas também podem, por R$ 40, fazer um passeio que dura de dez a doze minutos de ultraleve, andar de bugue até praias mais próximas (R$ 80 para quatro passageiros, por duas horas e meia), passear de quadriciclo (R$ 10 a cada quinze minutos) ou fazer um passeio até a Fazenda e Engenho Marrecas de São Gonçalo, datada do século XVII, época em que os engenhos de açúcar existiam em maior número na região.

No lugar, os turistas podem tirar leite de vaca, andar a cavalo, ver de perto a preparação da farinha de mandioca e apreciar a fachada de um casarão do século XVIII, que pertenceu a um senhor de engenho e hoje serve de moradia aos atuais proprietários da fazenda.

A jornalista viajou a convite do Maceió Convention & Visitors Bureau, da Assimptur e da TAM. Esta foi a segunda matéria da série sobre Alagoas. Na próxima semana, a última reportagem mostrará as cidades históricas do estado.

Onde se hospedar

Em Pontal do Peba:

Pousada Chez Julie – Avenida Beira-Mar, s/n.º – Telefone: (82) 557-1217 – Diárias a partir de R$ 80 por casal.

Pousada Praiana – Rua do Comércio, 27 – Telefone: (82) 557-1156 – Diárias a partir de R$ 30 por casal.

Em Barra de São Miguel:

Pousada Barra Sol – Rua Cônego Osmam de Carvalho, s/n.º – Telefone: (82) 272-1594 – Diárias a partir de R$ 50 por casal.

Village Barra Hotel – Rua Senador Arnon de Mello, s/n.º – Telefone: (82) 272-1207 – Diárias a partir de R$ 90 por casal.

Em Maragogi:

Club Hotel Salinas de Maragogi – Rodovia AL-101 Norte, km 130 – Telefone: (82) 336-6622 – Diárias a partir de R$ 260 por casal.

Hotel Praia Dourada – Rodovia AL-101 Norte, km 130 – Telefone: (82) 296-6161 – Diárias a partir de R$ 55 por casal.