Enquanto os meteorologistas tentam explicar as causas e classificar a origem dos ciclones que atingem o Sul e Sudeste do País, pesquisadores do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) sugerem a utilização de um túnel de vento atmosférico, localizado na Cidade Universitária, em São Paulo, para aumentar a segurança das edificações sujeitas a esse tipo de ocorrência. Com o equipamento, os pesquisadores conseguem observar o impacto físico provocado pelas fortes correntes de vento sobre obras de construção civil. O estudo é feito por meio de maquetes de edifícios, torres, pontes e casas populares. Os ensaios utilizam cálculos matemáticos e recursos computacionais. As maquetes levam materiais que reproduzem as condições reais. “Se a construção tiver um telhado de alumínio, o protótipo tem que ser produzido com algum material similar que represente a mesma vibração do alumínio, só que em escala reduzida”, disse Gilder Nader, pesquisador do Centro de Metrologia em Fluídos do IPT. Em seguida, é inserida uma série de sensores capazes de identificar os níveis de vibração na maquete. Os dados obtidos pelos sensores, por meio do processamento matemático no túnel de vento, como os coeficientes de pressão e de arrasto, são passados para os engenheiros estruturais para que eles calculem como deve ser projetada a construção. A variação de pressão na maquete é medida de acordo com as rajadas de vento sobre o protótipo. “Os resultados dos ensaios servem para identificar qual é a carga, a espessura e todas as variáveis que devem ser levadas em consideração na construção, de modo que ela possa suportar ventos de uma velocidade específica”, disse Nader.