Com o cronograma de implantação dos canais digitais abertos atrasado, assistir a TV digital em alta definição (HDTV) é uma realidade que não está ao alcance do todos.

Mas esse panorama pode estar começando a mudar: desde quinta-feira (10), a Net iniciou a transmissão de sinais digitais HDTV na capital. O sistema, porém, se limita a alguns canais abertos, que já converteram sua programação, ou parte dela, ao sistema digital, e alguns fechados, que disponibilizam o formato no Brasil.

As vantagens são boas: além de poder assistir a programas em alta definição, a possibilidade de gravar a programação é um adicional interessante. “O gravador digital pessoal (DVR) vai transformar o hábito de assistir à TV no País”, afirma Eduardo Aspesi, diretor executivo de marketing da Net Serviços.

O aparelho permite retroceder a programação que está sendo assistida, e grava mesmo com a TV desligada ou ligada em outro canal, com um toque no controle remoto.

A possibilidade, porém, não é exatamente inédita na TV por assinatura – até alguns aparelhos de TV oferecem internamente a opção. Mas a diferença, no caso do novo serviço da Net, é que as gravações feitas pelo decodificador (DVR-HDTV) também são em alta definição.

O público-alvo é seleto. Segundo o gerente de Operação da Net em Curitiba, Ricardo Falcão, a idéia é conquistar pessoas das classes A e B, “de perfil inovador e que goste de lançamentos de última tecnologia”.

As exigências começam nos requisitos para ter o serviço: ter uma TV pronta para alta-definição (HDTV Ready), com entrada do tipo HDMI, é  fundamental para sentir alguma diferença nas imagens.

O preço também mostra que o serviço não é para qualquer um. Para assinar a Net Digital HD Max, é necessário pagar uma taxa de adesão de R$ 799, divididos em 10 vezes, mais uma mensalidade de R$19,90 pelo serviço de gravação.

Caso o cliente não queira a opção de gravar, pode pagar uma adesão mais cara, de R$999, mas fica isento de mensalidade extra. Nos valores não estão incluídas as mensalidades dos pacotes de canais.