O conselho superior da Agência Espacial Brasileira (AEB) aprovou na última quarta-feira as recomendações e diretrizes para os próximos dez anos do programa espacial. Segundo a AEB, como recomendação geral, todas as missões deverão, sempre que possível, agregar equipamentos para recepção de dados ambientais, em auxílio aos satélites de coleta de dados SCD-1 e SCD-2. Na área de observação da Terra, foi confirmada a inclusão, no Programa Nacional de Atividades Espaciais (PNAE), dos satélites sino-brasileiros de recursos terrestres (CBERS-2B, 3 e 4), além de satélites de observação óptica (SSR) e radares.

Em relação às missões científicas e tecnológicas, serão incluídos os satélites científicos Equars e Mirax. Foi proposto também a utilização rotineira de foguetes de sondagem e balões estratosféricos como meios de promoção da pesquisa científica e do desenvolvimento tecnológico. Já a Estação Espacial Internacional (ISS) deverá ser utilizada para as pesquisas que requeiram ambiente de microgravidade ("gravidade zero") por longos períodos de tempo.