São Paulo (Agência Fapesp) – As metas do Programa Espacial Brasileiro têm sido atingidas em todos os seus segmentos, contribuindo para que o País adquira autonomia, ofereça serviços e capacite a indústria nacional. A conclusão é de um encontro para avaliar as atividades espaciais, promovido pela Agência Espacial Brasileira (AEB), que terminou na última quarta-feira.

A execução de praticamente 99% do orçamento destinado ao setor, o lançamento de foguetes de sondagem, inclusive fora do Brasil, a construção do próximo protótipo do Veículo Lançador de Satélites (VLS-1) e a distribuição em larga escala de imagens do Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres (CBERS-2) são indicadores do bom desempenho do programa.

A avaliação foi baseada no andamento das ações do Programa Nacional de Atividades Espaciais (PNAE), em apresentação feita pelos gerentes de cada projeto e contou com a participação dos diretores do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE/CTA), do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), do Centro de Lançamento Barreira do Inferno (CLBI), além de diversos outros técnicos da área.

A iniciativa inédita de promover uma avaliação do programa espacial com os setores governamentais envolvidos na área foi elogiada pelos participantes. Para o diretor do Inpe, Gilberto Câmara, a reunião foi uma oportunidade de divulgar os benefícios advindos das atividades espaciais. ?O sucesso do CBERS, por exemplo, com a distribuição de cerca de 190 mil imagens gratuitamente, mostra a utilidade que o programa tem para a sociedade?, destacou.