Um grupo de cientistas nos Estados Unidos descobriu uma terapia genética capaz de transformar macacos preguiçosos em verdadeiros workaholics. Normalmente, macacos só dão duro quando sabem que alguma recompensa vai resultar disso. Mas os primatas que sofreram a alteração “suavam a camisa” o tempo inteiro.

Os macacos são parecidos com os seres humanos em sua relação com o trabalho ao menos aqueles animais que vivem em um laboratório e aprendem a apertar botões e realizar outras atividades a fim de serem recompensados com água e guloseimas.

Eles só começam a se concentrar na tarefa quando chega o horário da refeição. Mas os cientistas do Instituto Nacional de Saúde Mental, nas proximidades de Washington, desenvolveram uma técnica pela qual a postura “profissional” dos macacos mudou notadamente. “Os macacos normais e as pessoas são proteladores”, disse o cientista Barry Richmond, que liderou a pesquisa. “Eles tendem a não trabalhar muito bem quando têm tempo à disposição, e a trabalhar melhor quando o momento da recompensa se aproxima.”

Depois de cerca de dez semanas, a terapia genética que mudou a forma como os macacos viam suas obrigações laborais perdeu seu efeito.