O fato de uma pessoa ser destra ou canhota é definido no útero materno quando o feto tem cerca de 10 semanas de vida, segundo um estudo científico publicado na Grã-Bretanha. Especialistas da Universidade de Queen, na Irlanda do Norte, estudaram imagens obtidas por ultra-som de mil fetos e depois acompanharam o progresso de alguns deles após o nascimento. Os cientistas concluíram que se um feto de 10 a 12 semanas prefere chupar o polegar da mão direita em lugar do da esquerda, “terá tendência a utilizar a mão direita posteriormente”. O cientista Peter Hepper, que coordenou a pesquisa, publicada na revista New Scientist, afirmou que seus descobrimentos “contradizem as crenças atuais de que a preferência por uma ou outra mão não se desenvolve até a criança ter três ou quatro anos”. O grupo de cientistas analisou, além disso, o movimento das mãos no útero, uma atividade que começa por volta das 10 semanas, e encontrou um vínculo semelhante entre a preferência por uma ou outra mão depois do nascimento.