Pela primeira vez na história, um buquê de flores “espaciais” foi colhido. A tão esperada notícia foi divulgada pelo “astronauta-jardineiro” norte­-americano Scott Kelly, um dos responsáveis pelas zínias plantadas no Sistema de Crescimento de Flores Veggie da Estação Espacial Internacional. 

Na sua conta do Twitter nesta terça-­feira, dia 16, o astronauta escreveu que a “primeira flor a crescer no espaço fez a sua estreia” e que “sim, existem outras formas de vida no espaço”.
No dia 14 deste mês, Kelly já havia tirado uma foto de um buquê de zínias flutuando pelo espaço e desejado um feliz Dia de São Valentim, data equivalente ao Dia dos Namorados nos Estados Unidos e na Europa.
As sementes foram plantadas na estação no dia 16 de novembro do ano passado e em janeiro as flores começaram a desabrochar. As zínias fazem parte de um teste que fornecerá informações de como plantas poderão ser cultivadas no espaço e usadas na alimentação dos próprios astronautas. 
Para isso, foram semeadas na mesma data a mesma quantidade de flores na Terra, mais especificamente no laboratório do Kennedy Space Center, nos Estados Unidos, para que os dois buquês pudessem ser comparados e analisados para descobrir como a falta de peso influencia no desenvolvimento das plantas. 

Confira o momento da colheita no vídeo: