SÃO PAULO – A Brasil Telecom, operadora de telefonia fixa da região centro-sul, assumiu o controle societário do portal iBest por 50 milhões de reais. Subsidiária integral da operadora, a BRT Serviços de Internet (BrTSI) já possuía 13 por cento do portal e opção de compra do controle.

A presidente da Brasil Telecom, Carla Cico, afirmou nesta segunda-feira, em teleconferência com analistas, que a operação representou desembolso de apenas 15 milhões de reais. Os demais 35 milhões de reais foram alocados na subscrição do aumento de capital do iBest, o que diluiu a participação de outros sócios como a iBest Company, do empresário Marcos Wettreich. Ele continua, no entanto, no comando operacional do empreendimento.

Com o negócio, a BrTSI passou a deter 71,6 por cento do capital votante e 43,5 por cento do capital total do iBest. O portal foi lançado em dezembro do ano passado como um provedor de acesso gratuito à Internet.

De lá para cá, o iBest passou a funcionar quase como uma franquia, tornando-se o provedor gratuito de 15 empresas. Segundo comunicado da Brasil Telecom, o portal iBest tinha 1,3 milhão de usuários cadastrados em junho. A assessoria do portal informou que já são 1,7 milhão de usuários e que o portal conseguiu equilíbrio operacional em julho, mas não divulgou números.

A lista de compras da Brasil Telecom se estende também por empresas de longa distância, como a Intelig, e de infra-estrutura, como a Metrored. Cico confirmou que a negociação da compra dos ativos brasileiros da Metrored foi autorizada pelo Conselho de Administração da empresa, mas o negócio ainda não está fechado.

Para o analista Ricardo Ventrilho, da Itaú Corretora, o preço é só uma das componentes do negócio. “Acredito que essa empresa não precise de muitos investimentos adicionais porque aí haveria dispêndio de caixa”, disse Ventrilho. “A aquisição vai ser boa, mas existem riscos inerentes que às vezes nem eles, que estão fazendo a ‘due dilligence’, captam”, afirmou.

A presidente da Brasil Telecom descartou, por enquanto, aquisição de empresas de telefonia celular. “Estou convencida de que a Brasil Telecom precisará oferecer celular para seus clientes”, disse.

A Brasil Telecom Participações, que controla a operadora de telefonia fixa, anunciou na sexta-feira lucro líquido de 122,6 milhões de reais no segundo trimestre, resultado de receitas maiores e baixa exposição ao dólar. (Fonte: Reuters)