O calor finalmente começou a dar as caras em Curitiba e, com ele, chegou a hora de tirar do guarda-roupa os modelitos mais frescos, como vestidos, shorts e saias. Só que, depois de tanto tempo sem ver o sol, muita gente já viu o bronzeado do verão passado ir embora faz tempo e está com o corpo mais branco do que roupa de propaganda de sabão em pó. Nessas horas, os autobronzeadores surgem como uma opção rápida e fácil para quem gosta de uma coloração de pele mais forte.

Os mercados, farmácias e lojas de cosméticos oferecem grande variedade de produtos autobronzeadores, que prometem um efeito semelhante ao da exposição ao sol em pouco tempo. Para entender melhor como utilizá-los para obter o efeito desejado, a fisioterapeuta e professora do curso de Estética e Cosmética das Faculdades Opet, Andréia Regina Bonjorno, explica como funcionam esses produtos e a melhor forma de aplicação para garantir bons resultados.

A fórmula dos autobronzeadores, segundo Andréia, mudou. “Antigamente, (as indústrias) usavam uma pigmentação que dava um aspecto alaranjado, mas os produtos novos usam outra tecnologia”, explica. Segundo ela, eles são feitos à base de uma substância chamada dihidroxiacetona (DHA), que faz uma oxidação das células mais superficiais da pele, dando um aspecto mais natural de pele bronzeada.

Existem autobronzeadores em forma de spray, gel, creme e mousse, que podem ser aplicados em casa. Nas clínicas de estética, o produto pode ser aplicado com jatos de tinta, tratamento conhecido como jetbronze. “É um aparelho compressor que vai jateando, como se estivesse pintando a pessoa, o que faz com que o processo fique mais fácil”, destaca Andréia.

Para quem quer economizar e pretende aplicar um autobronzeador sozinha, entretanto, Andréia sugere que seja feita uma esfoliação corporal antes. “Para que fique um efeito mais homogêneo, mais natural, é preciso preparar a pele. O mais indicado é fazer uma esfoliação primeiro, assim, a pessoa vai conseguir uma ação mais duradoura do produto”, ressalta.

De acordo com Andréia, os autobronzeadores podem ser espalhados no corpo com luvas ou com as mãos mesmo, mas nesse caso é preciso um cuidado maior. “Logo após passar o produto, tem que lavar as mãos direitinho, senão pode pigmentar”. Ela alerta ainda que é preciso esperar de 15 a 20 minutos para a secagem total. “Não mancha as roupas, mas o que pode acontecer se colocar roupa antes é a remoção do produto da pele”, afirma. O efeito completo dos autobronzeadores aparece em média de quatro a seis horas após a aplicação.

Os autobronzeadores podem ser passados em todo o corpo. “Como eles dão um efeito mais natural, as pessoas têm usado inclusive no rosto”, comenta a professora. Ela orienta ainda que, nos joelhos, cotovelos e tornozelos, é preciso passar uma quantidade menor do produto. “Essas áreas têm mais queratina e a probabilidade de ficar mais escuro é maior”, explica.

Para garantir uma duração maior do efeito, a dica é hidratar bem a pele. “O produto age nas células mais superficiais, mas durante uma semana a dez dias, é feita a troca dessa pele. A hidratação mantém a pele mais viçosa e acaba demorando mais para fazer a renovação celular”, diz Andréia.

O visual bronzeado pode ainda amenizar alguns defeitos, entre eles a maior vilã para as mulheres – a celulite. “É como se fosse uma camuflagem. A pele bronzeada tem uma aparência mais saudável, isso faz com que tenha uma ilusão de que a celulite diminuiu”, comenta Andréia.