enkontra.com
Fechar busca

Lendas Vivas

Zagueiro quebrou recorde de Altevir no gol

Primeiro gol após os 1.066 minutos foi obra de um zagueiro

  • Por Edilson Pereira

O goleiro Altevir é detentor de um recorde do futebol paranaense. Ele é o goleiro que em competições estaduais ficou mais tempo sem tomar gol. Esta performance aconteceu no ano de 1977, com a camisa do Atlético Paranaense, entre os dias 25 de junho e 17 de agosto. Foram onze partidas completas – a primeira contra o Coritiba e a última contra o Iguaçu, sendo que no meio houve quatro clássicos – dois contra o Coritiba e outros dois contra o Colorado. Se somar o tempo de prorrogação de um jogo contra o Coritiba e os 16 minutos do último jogou em que sofreu novamente um gol, o tempo sem ser vazado chega a 1.066 minutos.

A sequência foi quebrada em um jogo contra o Grêmio de Maringá no estádio Willie Davids no dia 28 de agosto. Uma partida que o Altevir considera muito tensa, jogada debaixo de uma garoa que complicava a vida do goleiro. “Aos 24 minutos do segundo tempo, o ataque do Grêmio chutou uma bola. Ela vinha na minha direção, mas o zagueiro Belga tentou cortar e se antecipou e mandou para o fundo das redes”, conta Altevir. “O pior é que eu ia pegar a bola, era para mim”, lamenta ele. Uma ironia destas que acontecem no futebol, o zagueiro do próprio time acabar com uma trajetória invicta. Outra ironia também típica do futebol, depois de atuar vários anos pelo Atlético, Altevir foi contratado pelo Coritiba, em 1978.

“Em 1978, eu fui contratado pelo Coritiba para disputar o Campeonato Brasileiro. O Coritiba pagou 700 mil cruzeiros e anda cedeu Aladim por um ano para o Atlético”, diz ele. Altevir tem a terceira melhor média entre os goleiros do Coritiba Football Club em campeonatos brasileiros. Ele jogou o campeonato de 1979 pelo Coxa, fez 23 partidas e tomou apenas 21 gols. Com a camisa do Coritiba, Altevir ganhou o campeonato paranaense daquele ano – ele disputaria apenas a metade do primeiro turno, porque foi vendido posteriormente para o Botafogo de Ribeirão Preto. Ele também foi convocado para defender o gol da Seleção Paranaense de Futebol, que enfrentou no dia 22 de março a Seleção Brasileira, que se preparava para a Copa do Mundo na Argentina. “Foi uma grande partida. Eu peguei muita bola, afinal eles tinham cobradores de falta como o Rivelino”, diz Altevir. No entanto, no final do jogo, Nunes marcou para o Brasil, decretando uma vitória magra. Esta foi a última vez que a Seleção Paranaense foi reunida para um grande jogo. E depois deste jogo e de outro no Rio Grande do Sul, a Seleção Brasileira parou de enfrentar seleções estaduais. Outra façanha da qual Altevir se orgulha é a de nunca ter sido expulso: “Eu tenho uma carreira de 18 anos como jogador de futebol. Fiz mais de 1.000 partidas e nunca fui expulso”.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas