enkontra.com
Fechar busca

Lendas Vivas

Craque parou cedo

Valtinho virou Negreiros e brilhou pelos campos do Brasil

  • Por Edilson Pereira

O começo da carreira de Walter Ferraz Negreiros foi na terra de um dos maiores times do mundo: o Santos. Ele começou a jogar futebol num clube de várzea: o Barreiros. No começo, ele jogava até descalço. Depois, claro, pegou intimidade com as chuteiras. Mas o importante é que ele tinha DNA de futebol no sangue. Ele era filho de um centromédio chamado Negreiros que depois virou centroavante no Santos dos anos 40. Por isso, quando chegou à Vila Belmiro em vez de o chamarem de Valtinho, ganhou logo o apelido que tornou o pai conhecido. Negreiros.

“Enquanto estava no juvenil eu combinava os jogos do time no Santos com os do Barreiros, tanto eu como o Clodoaldo”, diz ele. No entanto, quando assinou o primeiro contrato profissional, ele parou com o Barreiros. “O meu primeiro técnico foi o Lula”, conta Negreiros. E pegar boca naquele time do Santos não era para qualquer um. “Veja bem esta linha: Doval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe. É a maior linha de ataque de um time de futebol de todos os tempos”, diz Negreiros. E ninguém duvida.

Negreiros foi ficando no Santos e conquistando títulos. De 1966 até 1971, ele ficou na Vila Belmiro com um pequeno intervalo de oito meses em 1970, quando ele foi emprestado para o Grêmio de Porto Alegre, para disputar o campeonato estadual. Ele não quis ficar no Grêmio por um motivo climático: “Eu voltei para o Santos porque não era acostumado a temperaturas baixas. Mas não adiantou eu fugir do frio, porque acabei vindo para Curitiba”. No Santos, Negreiros conquistou oito títulos. Pelo Coritiba conquistou os campeonatos estaduais de 71, 72, 73 e 74, além do Torneio do Povo, de 1973.

No Coritiba, ele ficou até 1974, quando, abruptamente, aos 28 anos, com praticamente apenas oito anos de futebol profissional, resolveu parar. “Deixei meu passe aqui em Curitiba, peguei as minhas coisas e voltei para Santos e fui jogar showbol. O Coritiba ainda quis me vender para um clube do México, mas eu não fui. Eu simplesmente não queria mais jogar futebol profissional”, diz ele.

Ele chegou ainda a morar em Londrina, onde foi treinador do Roma Apucarana. Negreiros teve uma escolinha de futebol em Cubatão e dirigiu o time de São Vicente. Hoje ele é comentarista esportivo da TV COM, Canal 11, em Santos.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas