A maratona de amistosos continuava: no dia 1º de julho o Brasil enfrentou o Barcelona no estádio Camp de Les Corts e empatou em quatro gols. O Brasil voltava para casa, mas continuava jogando. Deu uma parada em Portugal onde Patesko fez os primeiros gols com a camisa da seleção. Ele marcou os dois primeiros no amistoso contra um combinado formado por jogadores do Benfica e do Belenenses, no dia 12 de julho de 1934 no Campo das Amoreiras, em Lisboa. O Brasil ganhou por 4 a 2. No dia 15, no estádio Alto do Lumiar, embora o Brasil tenha enfiado 6 a 1 no Sporting, o ponteiro esquerdo passou em branco. No dia 22, jogando no campo da Rua da Constituição contra o Porto, o Brasil empatou sem gols. Depois pegou o navio de volta para casa.  

Arquivo
Patesko: após Copa, no Botafogo.

A seleção parou no Nordeste. Onde os amistosos continuaram. O primeiro amistoso em Salvador foi contra o Galícia, no dia 7 de setembro, a quem a Seleção goleou sem piedade por 10 a 4 no Campo da Graça. Todo mundo marcou gol, menos Patesko. Dois dias depois, 9 de setembro, o Brasil pegou o Ypiranga a quem derrotou no estádio Vila Canária por 5 as 1 e Patesko marcou o seu primeiro gol com a camisa da Seleção em território nacional. A partida foi interrompida por causa de uma confusão entre os jogadores Leônidas da Silva e Da Hora. Leônidas era bom de bola, mas era mais esquentado que fornalha de locomotiva. O juiz Manoel Rabello se recusou a apitar a partida e foi embora. O jogo foi conduzido até o final pelo auxiliar Anísio Silva. O mesmo juiz apitou o jogo entre Brasil e Vitória no Campo da Graça dia 13 de setembro, que terminou vencido pelo time nacional por 2 a 1. No dia 16, o Bahia levou uma goleada de 8 a 1. No dia 20, o selecionado pegou a Seleção da Bahia e ganhou por 2 a 1.

Depois desta curta mais intensa temporada baiana, a Seleção foi para Pernambuco para mais uma curta e intensa temporada de amistosos. Foram nada mais que cinco jogos: venceu o Sport Recife por 5 a 4 no dia 27 de setembro no Campo da Avenida Malaquias; o Santa Cruz por 3 a 1 no dia 30, no mesmo estádio; o Náutico por 8 a 3, no dia 4 de outubro; e a Seleção Pernambucana no dia 7 por 5 a 3; no dia 10, o Brasil voltou a enfrentar o Santa Cruz e perdeu por 3 a 2 – este resultado é comemorado até hoje pela torcida do time pernambucano que preferiu esquecer os resultados anteriores. O Bahia se animou com a revanche do Santa Cruz e pediu nova oportunidade: jogou contra a Seleção no dia 13 no Campo da Graça em Salvador e novamente foi goleado, desta vez por 5 a 1. Patesko marcou um dos gols da partida. E o Bahia desistiu de pedir revanche. No final do ano, dia 16 de dezembro, o Brasil enfrentou o Palestra Itália de São Paulo no Parque Antártica e ganhou por 5 a 1.