Faça o simulado do Enem 2015Desde 1998, o primeiro ano em que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi realizado, alguns temas são recorrentes nas questões de Biologia. De acordo com levantamento do blog Biologia Total, de 196 perguntas da disciplina cobradas em 15 anos de Enem, 42% foram de Ecologia.

No segundo lugar, ficaram empatadas Genética e Evolução, ambas com 11%. A quarta área mais cobrada é a Fisiologia, com 10%, e a quinta, a Parasitologia, com 8%. Conversamos com dois professores de Biologia sobre quais conteúdos dentro desses cinco campos são mais propensos a aparecer na prova de Ciências da Natureza e suas Tecnologias, que será realizada no dia 24 de outubro.

O que cai na prova de biologia do Enem?

O que cai na prova de biologia do Enem? Arte: Tribuna do Paraná

Ecologia

De acordo com o professor de Biologia e Ciências Wanderlei Karam, do Colégio Estadual Luiz Sebastião Baldo, o Enem busca uma visão interdisciplinar. Por isso, podem cair questões que relacionem duas matérias diferentes, como Química e Biologia.

“Fiz algumas análises desde 2010, e a questão que mais caiu relacionada a Biologia e Química foi o problema dos resíduos sólidos. Quando se deposita lixo em local inadequado, como lixões e terrenos baldios, é liberado o gás metano, e o chorume – líquido escuro e malcheiroso – pode contaminar o solo e o lençol freático”, explica o professor.

A compostagem, uma solução para transformar lixo em adubo orgânico, merece atenção do candidato. Outro ponto que pode ser cobrado é a poluição da atmosfera pela liberação de monóxido de carbono, segundo Karam: “A presidente Dilma Rousseff se comprometeu a diminuir a emissão de gases poluentes, por isso, é uma assunto atual”.

As relações entre seres vivos são recorrentes no Enem. “Questões com um desenho de cadeia alimentar, que pedem para o aluno identificar o produtor, o consumidor primário e o secundário, são bastante comuns”, indica ele. Fique ligado também nas relações ecológicas entre os seres vivos: simbiose, protocooperação, comensalismo etc.

Para a professora de Biologia Samyra de Lourdes Stephan, do Colégio Estadual do Paraná, o tema da crise hídrica do Sudeste pode vir com tudo neste ano, já que o Enem tem viés social e essa questão afeta diretamente a população. “A escassez de água causa problemas como falta de saneamento básico, que provoca doenças”, afirma ela. O desmatamento da Amazônia está relacionado à diminuição das chuvas e também pode aparecer no Exame.

Genética e Evolução

Saber o que diziam Darwin e Lamarck e comparar as duas teorias é fundamental para se dar bem nas questões de Genética e Evolução, avisa Samyra. “Esteja preparado para responder perguntas sobre a Teoria da Evolução, as leis de Darwin e a seleção natural relacionada à genética. Lembrando que sem evolução não ocorre genética”, reforça a professora.

Karam aconselha estudar a interdisciplinaridade entre Genética e Citologia. “Vez ou outra cai na prova uma questão de como saber a paternidade da criança sem acesso ao núcleo das células. É por meio das mitocôndrias, que são organelas (estruturas dentro das células) que possuem DNA circular, nas células animais. Já nas vegetais, os cloroplastos são as organelas que têm DNA circular”, explica o professor.

Fisiologia

Apesar de bem menos presente (10%), conteúdos de Fisiologia caem, sim, no Enem. “Geralmente, as questões abordam o funcionamento de tecidos e músculos, e a fisiologia da respiração e da digestão”,, diz Karam. A professora Samyra acrescenta que a circulação do sangue e a relação entre tecidos musculares e cardíacos também podem aparecer na prova.

Parasitologia

Doenças são um assunto bem comum no Exame, porque afetam a população. A Parasitologia, que compreende enfermidades causadas por parasitas, representa 8% das questões de Biologia no histórico do Enem. Mas patologias provocadas por outros agentes, como vírus, bactérias e protozoários, também caem na prova, afirma Karam. A relação com o saneamento básico, uma questão social, é o motivo de esse tema ser recorrente.

Samyra orienta a ficar atento a patologias que podem ser trazidas de outros continentes através dos fluxos migratórios, como o Ebola, por exemplo. “Dengue e aids são assuntos sempre quentes”, acrescenta a professora.