enkontra.com
Fechar busca

Segurança

Barraco no Centro

Briga entre guarda, policial e militar do exército tem tiro de 12 em posto

  • Por Lucas Sarzi
Foto: Reprodução/Google.

Uma discussão entre um soldado da Polícia Militar (PM), um militar do Exército Brasileiro e ainda um guarda municipal acabou em confusão na madrugada deste sábado (4), no pátio de um posto de combustíveis, no Centro de Curitiba. Um disparo de arma de fogo teria sido efetuado no local, mas ninguém foi atingido. O soldado e o GM ficaram feridos por causa dos socos que trocaram.

Tudo aconteceu na esquina da Avenida Vicente Machado com a Rua Brigadeiro Franco, trecho movimentado durante a noite nos finais de semana por ter muitos bares, restaurantes e casas noturnas. Conforme apurou a Tribuna do Paraná, o soldado do 12º Batalhão da PM pediu ajuda da PM ao se envolver numa confusão.

Quando uma equipe da PM chegou, os policiais viram que o tumulto era ainda maior do que imaginavam. Testemunhas disseram que houve um desentendimento entre o soldado e o militar do Exército, que viu uma viatura da Guarda Municipal (GM) e também pediu ajuda. A equipe da GM abordou o soldado e, logo depois, outros policiais militares chegaram e pediram para que ele abaixasse a arma que empunhava, ordem que foi acatada.

Tiro e coronhadas

A confusão parecia ter sido controlada, o soldado já tinha guardado a arma na cintura quando, não se sabe por qual motivo, um guarda municipal teria dado uma coronhada no rosto do PM. Neste momento, a espingarda de calibre 12 que estava com o GM disparou no meio do pátio do posto e a situação fugiu do controle.

Os envolvidos entraram em luta corporal e foram separados pelas equipes policiais que estavam ali. O Siate foi acionado, porque embora ninguém tenha sido atingido pelo disparo, os dois envolvidos na briga acabaram feridos pelas coronhadas. O soldado da PM teria sido socorrido ao Hospital Evangélico e o guarda municipal que atirou ao Hospital Cajuru. Os dois não corriam risco de morte.

Sem registro

Uma equipe da PM, levando testemunhas, foi junto com guardas municipais ao 1º Distrito Policial (DP) na intenção de registrar o que havia acontecido. Conforme o que apurou a reportagem, o investigador que estava de plantão informou que não era possível registrar o boletim de ocorrência, pois nenhuma das partes envolvidas estava junto.

A orientação passada foi a de que, quando saírem do hospital, os dois brigões deveriam formalizar o BO para que a Polícia Civil investigue o que aconteceu. Até a manhã deste sábado, conforme foi informada a reportagem da Tribuna em contato com a delegacia, ninguém teria comparecido ao 1ºDP para dar inicio ao procedimento.

Em nota, a Guarda Municipal informou que está apurando as circunstâncias do caso e vai se pronunciar quando tudo estiver esclarecido. A reportagem também procurou a Polícia Militar, que ainda não falou sobre o assunto.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

63 Comentários em "Briga entre guarda, policial e militar do exército tem tiro de 12 em posto"


Paula
Paula
6 meses 11 dias atrás

Tribuna, está na hora de desativar os comentários!

Lucas Bettin Rubro Negro
Lucas Bettin Rubro Negro
6 meses 16 dias atrás

Nada esclarecido.Muito menos e reportagem . Muito mal redigida .Quando fala em “soldado” se refere tenta ao militar quanto ao do exército e gera uma confusão total . PÉSSIMA REDAÇÃO .

clovis
clovis
6 meses 13 dias atrás

Verdade mesmo, um rolo maior que a do posto, mas tem que se apurar com imparcialidade e sem corporativismo e punir os culpados, pois poderia haver uma tragédia, preparar melhor os homens da lei para serenar os ânimos, não acirrá-los.

Christovam
Christovam
6 meses 16 dias atrás

QUE ROLO..TÁ PARECENDO TELEKET..FALTOU SÓ A MARINHA E A AERONÁUTICA, PARTICIPAREM..AH E A POLICIA FEDERAL TAMBÉM..MATÉRIA MAL EXPLICADA!!!! QUM BATEU EM QUEM? QUEM AJUDOU QUEM? E POR QUE RAZÃO?

Mário
Mário
6 meses 16 dias atrás

Mas concordo que está mal explicado

Mário
Mário
6 meses 16 dias atrás

Telecatch

Denival Jeter Guimarães
Denival Jeter Guimarães
6 meses 16 dias atrás

Esses guardinhas são uns recalcados mesmo, eles queria ser PM e como não conseguiram entraram para a guarda dos frustrados. Desta forma criou-se uma legião de recalcados que sabem que não são polícia e que não tem o treinamento devido para agir. Destreinados agem como síndicos de prédio!

clovis
clovis
6 meses 13 dias atrás

Vão começar com a babaquice – “Eu sô o mió,, não eu sô, o mió”, GM é GM, PM é PM e pronto, cada um é autoridade em sua área, os PMs cuidam da segurança do Estado do Paraná junto com a Polícia Civil e auxiliando a PF e PRF, a GCM cuida das praças e prédios públicos de Curitiba e pronto.

Jonas
Jonas
6 meses 15 dias atrás

Kkkkk, concurso da gm curitiba foi muito mais concorrido que o da Pm, informe-se melhor amigo !

Mário
Mário
6 meses 13 dias atrás

Ambos os concursos são concorridos
O da Pm e um pouco mais devido às provas de habilidades específicas

CIC CIC
CIC CIC
6 meses 16 dias atrás

noitada, cachaça, arma de fogo com policial fora do horário de trabalho…. na rua da minha casa tem um PM que vive desfilando sem camisa com arma na cinta ….. ai nao sei se isso pode ou não mas denunciar não leva a nada hoje em dia

Soldado Universal
Soldado Universal
6 meses 16 dias atrás

aproveita e denuncia os bandidos e traficantes ai do cic tbm….aposto que isso vc nao cogita fazer..vagabun..do armado vc nao ve..cada tipinho….

A Gabardo
A Gabardo
6 meses 16 dias atrás

Se alguém esbarrar no cidadão, ele vai soltar aquela frase, você sabe com quem você está falando?

Mário
Mário
6 meses 16 dias atrás

Todo policial ou autoridade tem esse direito
Se sentir molestado ou em perigo

Lucas Bettin Rubro Negro
Lucas Bettin Rubro Negro
6 meses 16 dias atrás

Vc está errado . Tem direito de andar armado sim . Mas não ostentando , sem camisa e com a arma à mostra . É comportamento ostensivo sem motivo .

Mário
Mário
6 meses 16 dias atrás

Apenas à paisana
Ostensivamente , apenas de maneira operacional

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas