enkontra.com
Fechar busca

Paraná

Pesquisa

Estado tem poucos guardas municipais

Apenas 6% dos municípios do Paraná possuem corporações compostas

  • Por Luciana Cristo

Apenas 24 municípios paranaenses têm equipes de guardas municipais, o que representa 6% do total. O percentual é menor que a média nacional (15,5%) e, mesmo nos municípios do Estado em que a guarda municipal existe, a estrutura parece não ter sido bem treinada, conforme destaca a pesquisa Perfil dos Municípios Brasileiros 2009, a Munic 2009, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Guarapuava, por exemplo, nunca teve guarda municipal treinada, aponta o analista regional do IBGE, Luís Alceu Paganotto. Outros 16 municípios alegam ter recebido treinamento somente quando foram implantadas.

Para efeito de comparação, o índice de municípios paulistas com guarda municipal sobe para 29,1%. O líder é o Rio de Janeiro, com 73,9% das cidades equipadas com a guarda.

No Paraná, a principal atuação da guarda é para proteção do patrimônio público, seguido pela ronda escolar, atividades da defesa civil e patrulhamento ostensivo. Cinco dos municípios com a guarda utilizam apenas armas não letais em serviço, outros quatro mesclam armas de fogo e não letais e, em três municípios, a opção é por usar apenas arma de fogo, enquanto que nos outros nenhum tipo de arma é empregado na atividade.

Mulheres

São Paulo e Rio Grande do Sul são destacados na pesquisa como os estados que mais possuem casas abrigos, que fazem parte da Rede de Atendimento às Mulheres em Situação de Violência.

As regiões com menor disponibilidade desses serviços são a Norte e a Centro-Oeste. Até 2003, as casas abrigos e as delegacias especializadas de atendimento à mulher constituíram as principais respostas dos governos à questão da violência contra as mulheres.

A partir de então, as políticas de enfrentamento à questão foram ampliadas e passaram a incluir ações de prevenção, de garantia de direitos e de responsabilização dos agressores.

Em relação a locais para manter adolescentes em conflito com a lei, o Paraná aparece em segundo lugar no ranking nacional, com 61 municípios com um local apropriado, sendo que 18 deles possuem celas especiais e 21 unidades especiais para esse grupo, o que coloca o Estado atrás apenas de São Paulo, com 78 municípios. Ao todo, 225 municípios paranaenses prestam atendimento ao adolescente em conflito com a lei.

Conselhos

Boa parte da Munic 2009 é dedicada à compilação de dados sobre a existência de conselhos nas diferentes áreas, como educação, transporte, saúde, habitação, cultura e esporte.

“Muitos desses conselhos são constituídos por mera formalidade, para receber recursos federais. Às vezes a pessoa nem sabe que pertence ao conselho, porque na prática não atua”, explica Paganotto.

2,8% da população trabalham em prefeituras


Luciana Cristo e Mara Andrich

Do total da população do Estado, 301 mil pessoas (2,8%) estão empregadas dentro da máquina administrativa municipal, número superior à média brasileira, que foi de 1,9%.

Londrina, Pinhais, Cambé, Ivaí, Colombo e Ponta Grossa foram os seis municípios destacados positivamente na pesquisa do IBGE, por apresentar um  número enxuto de funcionários em relação ao restante do País, todos com menos de 2% de funcionários empregados nas prefeituras.

O contraponto é Alto Paraíso,  no noroeste do Estado, onde 13% dos 3,2 mil habitantes trabalham em algum setor da estrutura municipal.  Em Curitiba, esse índice ficou em 2,4%.

Em relaç&,atilde;o ao nível de formação dos prefeitos, o Paraná ficou em quarto lugar em número de municípios com dirigentes que possuem curso superior completo. Do total de municípios pesquisados no Estado, 140 possuem prefeitos com nível de instrução superior, e outros 118, com ensino médio completo. O Paraná só perde para São Paulo (318), Minas Gerais (284) e Rio Grande do Sul (182).

Em contrapartida, o Paraná possui 18 municípios com prefeitos que não têm nem o ensino fundamental completo. Para se ter uma ideia, o estado de Minas Gerais, por exemplo, ganha do Paraná em relação aos prefeitos com curso superior, mas tem 92 que sequer concluíram o ensino  fundamental. O Estado também fica em quarto lugar em número de municípios  chefiados por mulheres, sendo que 388 cidades no Paraná têm prefeitas.

Quarto no ranking com mais bibliotecas públicas

Mara Andrich

Enquanto uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgada no mês passado apontou que os paranaenses são os que mais pegam livros emprestados em bibliotecas no Sul do País, a pesquisa do IBGE concluiu que o Estado ficou em 4.º lugar no ranking entre os Estados no número de bibliotecas públicas na comparação com todo o País.

Em relação às livrarias, o Estado ficou bem  posicionado, no mesmo 4.º lugar. A pesquisa do IBGE também mostra que o Paraná está em 4.º lugar no número de provedores de internet e na quantidade de teatros e salas de espetáculos. O Paraná conta ainda com 83 museus e 39 cinemas.

A acessibilidade para portadores de deficiência nas prefeituras do Paraná é melhor do que em outros estados. O Estado está em 3.º lugar na quantidade de instalações internas acessíveis com rampas; equipamento eletrônico de deslocamento vertical e sanitários adaptados.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

12 Comentários em "Estado tem poucos guardas municipais"


josmar sampaio
josmar sampaio
7 anos 3 meses atrás

Ni interior de São Paulo, as prefeituras encararam a segurança do cidadão como obrigação e investiram em suas guardas, estão tendo ótimos resultados, basta ver os vídeos postados no you tube.

josmar sampaio
josmar sampaio
7 anos 3 meses atrás

Parabéns aos guardas municipais de Curitiba, que estão mesmo sem dever legal, defendendo a população, com um trabalho preventivo, que é o que faltou para não estarmos vivendo esse descontrole na segurança do cidadão.

Everson Camargo
Everson Camargo
7 anos 3 meses atrás

Policiamento que a Guarda Municipal já vem realizando a um bom tempo, e com uma excelente aprovação da população, que quer prevenção e não repressão. GUARDA MUNICIPAL , Policia do povo, Policia do futuro.

Everson Camargo
Everson Camargo
7 anos 3 meses atrás

Pensa dois caras sem noção……Robinson e Roger. Segurança se faz com prevenção, porque depois que aconteceu o fato já era. O negócio e evitar que o delito aconteça. Por isso o crescimento da ideologia do Policiamento Comunitário.

sergio de azevedo
sergio de azevedo
7 anos 3 meses atrás

eu acho q seria mais inteligente se nos gms e pms brigacemos pela segurança juntos e não entre nos ….no caso do futuro da gm eu não vejo outro jeito que não seja o de virar policia …as ocorrências que a mesma vem atuando que o digam…

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas