Fechar busca

Paraná

Contato com a realidade das comunidades

  • Por Nájia Furlan

 Foto: Átila Alberti/O Estado

 Uma das preocupações é com relação aos afluentes do Rio Belém.

Quatorze alunos e um tutor do Programa de Educação Tutorial (PET) do curso de Geologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR) desenvolvem, desde junho, um projeto diferente de educação ambiental junto a alunos do ensino médio do Colégio Professor Júlio Mesquita, no Jardim das Américas, em Curitiba. O primeiro módulo do projeto está sendo concluído.

Tanto alunos da UFPR quanto os 25 alunos do ensino médio estão mais preparados para a geologia, geografia e cartografia do cotidiano. ?A idéia é que os acadêmicos adaptem o que se aprende na universidade à necessidade da população. É uma atividade extra-classe, que trabalha a cidadania dos alunos que vão se formar e dos estudantes da rede pública, que se tornam próprios agentes na educação ambiental?, afirma o professor de Geologia e tutor do programa, Luiz Alberto Fernandes.

Com o auxílio de alunos do curso de Geologia, Geografia e Engenharia Cartográfica da UFPR, os adolescentes têm chance de verificar na prática o que seria um problema ambiental, entres outros conceitos básicos. ?No primeiro momento eles tiveram as noções gerais. Depois eles mesmos começaram a apontar os problemas?, afirma o acadêmico do primeiro ano de Geologia, Felipe Brasil.

?O produto do projeto é a construção, junto com os alunos, de uma maquete do bairro, que identifique principalmente os problemas ambientais existentes?, explica a aluna do quarto ano de Geografia, Giseli Lisevski. ?O objetivo é que eles percebam e desenvolvam soluções para esses problemas do bairro?, completa Aline Muriel, aluna do primeiro ano de Geologia.

Problemas

Entre os problemas apontados pelos envolvidos no projeto, no Jardim das Américas, estão um afluente do Rio Belém que, além de poluído, já não apresenta mais a mata ciliar; problemas em relação ao solo; algumas praças que poderiam ser revitalizadas; e os ocasionados pelo próprio modelo de ocupação do bairro.

O desenvolvimento desse projeto também possibilita aos acadêmicos da UFPR perceber algumas falhas em relação à educação na área em que atuam. ?A gente percebeu também algumas falhas básicas de formação em geociências. É uma grande carência em dados de cultura geral e conceitos básicos como o que é uma curva de nível ou uma escala. Até hoje acho que 80% das pessoas não sabem o que é geologia?, afirma João Elói Dums, aluno do terceiro ano de Geologia.

Expansão

O projeto teve início apenas com recursos do próprio departamento, mas acabou sendo reconhecido e apoiado pela Petrobras. Portanto, a intenção dos alunos da UFPR e do professor Luiz Alberto é desenvolver o segundo módulo em 2006, com a divulgação dos resultados do projeto e também ampliá-lo para outras escolas. 

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas