enkontra.com
Fechar busca

Curitiba e Região

Disputa

Taxistas ‘colam’ carros na frente de shopping para atrapalhar aplicativos de carona

Por conta da ação dos taxistas, os motoristas de aplicativos estão embarcndo e desembarcando clientes em outros locais.

  • Por Raquel Derevecki - Gazeta do Povo

Depois de diversas brigas com taxistas que utilizam o ponto localizado em frente ao Shopping Estação, motoristas de aplicativos de transporte como Uber, Cabify e 99 passaram a evitar o embarque e desembarque de passageiros pela entrada central da Avenida Sete de Setembro. A ideia, segundo os motoristas, é evitar confrontos e novas tensões.

A reportagem solicitou uma corrida pelo aplicativo até o shopping e, no trajeto, o motorista confirmou a mudança. “Eu sei que você solicitou no aplicativo a parada na Avenida Sete Setembro, mas não dá mais para pararmos ali porque tivemos problemas com os taxistas, sabe? Mas eu posso deixar você no acesso da Rua Rockfeller”, revelou o condutor da Uber, sem saber que transportava um repórter.

Um funcionário do shopping que preferiu não se identificar presenciou várias das intrigas que levaram à decisão dos motoristas de aplicativos. Segundo ele, é comum ouvir taxistas xingando os outros condutores, dando pontapés em seus carros e até atirando pedras contra os concorrentes. “Eu estava na porta do shopping, quando isso aconteceu. O taxista viu o Uber parar, saiu do táxi soltando um monte de palavrões e começou a atirar pedrinhas com um estilingue. Podia ter machucado o passageiro do outro”, lamentou.

Em outra situação, segundo o funcionário do shopping, um rapaz parou seu carro para embarcar um idoso próximo ao ponto de táxi da Avenida Sete de Setembro, mas precisou sair do veículo para acalmar os ânimos na fila dos táxis. “Quando ele estacionou, um taxista desceu e começou a gritar falando que Uber não podia parar ali. O rapaz também desceu do carro chamando o outro de louco e disse que só estava pegando o pai dele no shopping. Foi uma situação constrangedora”.

De acordo com um taxista de 38 anos que trabalha no local desde 1999, casos como esses começaram em 2016, quando os aplicativos ainda não eram regulamentados. “O motivo era a luta contra a concorrência ilegal”, disse. No entanto, o prefeito Rafael Greca (PMN) regulamentou por decreto o serviço de transporte individual de passageiros por meio de aplicativos e, mesmo após a regulamentação, as desavenças continuaram. “Sempre tem uns que perdem a cabeça porque os diretos não são iguais e a concorrência se torna desleal. Mas eu acho que as brigas não vão levar a lugar nenhum”.

Foto: Reprodução.

Foto: Reprodução.

Guerra Fria

Por isso, ele e vários colegas decidiram colocar em prática uma ação diferente para espantar os motoristas de aplicativos do ponto do táxi. “Começamos a estacionar os táxis bem encostados um no outro. Assim, o passageiro não consegue passar entre os táxis para pegar um Uber. Isso é para própria segurança dele, evitando acidentes”, justificou.

No entanto, nem todos os taxistas aderiram à “guerra fria”. “Eu não brigo com ninguém e também não me envolvo nessa de encostar no carro da frente porque sei que todos querem trabalhar. E não está fácil pra ninguém nessa época de crise”, afirmou um taxista de 52 anos que atua na profissão há 16 anos.

Uso comum

Enquanto taxistas e motoristas de aplicativos trabalham em meio às intrigas, passageiros como a atendente Maria Eduarda Carroquei, 26, se adequam às mudanças. “O motorista me deixou nessa entrada quando eu cheguei, então estou aguardando no mesmo lugar para ir embora”, comentou a jovem, enquanto esperava na porta do acesso à Rua Rockfeller. “Eu não sabia dessa briga aqui no shopping, mas a situação entre taxistas e Uber já é antiga e passou da hora de acabar. Se não existisse o aplicativo, eu iria de ônibus como fazia antes. Não ia usar o táxi”, completou o estudante de engenharia mecânica João Vitor Ferreira, 21.

Já o casal Rose Nascimento e Gilson Nunes acredita que, além de ser desnecessária, a guerra entre taxistas e motoristas de aplicativos também viola os diretos da população de ir e vir. “Ninguém pode ser dono da entrada de um shopping porque a rua é um espaço público e as pessoas têm direito de chegar e ir embora no portão que preferirem”.

Em nota, a Uber também se posicionou a respeito da situação, afirmando acreditar “que todo cidadão tem o direito de escolher como quer se movimentar pela cidade, assim como o direito de trabalhar honestamente”.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

119 Comentários em "Taxistas ‘colam’ carros na frente de shopping para atrapalhar aplicativos de carona"


Conrado
Conrado
9 dias 6 horas atrás

Como não odiar os taxistas por causa disso? Será que não existe taxista que perceba o quão prejudicial essas atitudes são para a imagem deles. Nunca mais pego táxi na minha vida.

Wendell
Wendell
3 dias 23 horas atrás

vá caça um serviço!!!

Alan
Alan
10 dias 9 horas atrás

Nunca mais vou pegar um táxi na minha vida.

vindy
vindy
11 dias 15 horas atrás

i prefer uber, they are much easier
http://www.agenlivescore.com/
http://www.daftarspbo.com/

Edison
Edison
12 dias 6 horas atrás

Mais uma vez a tribuna tendenciosa, ali é ciclofaixa não é lugar de desembarque de passageiros, estão parando em fila dupla. Esses repórteres são sem conhecimento de leis de trânsito.

Alvaro
Alvaro
10 dias 6 horas atrás

E permitido embarque e desembarque de passageiros conforme sinalização na ciclofaixa Seria absurdo impedir o pedestre de embarcar e desembarcar em toda a extensao da via calma. E olha que ja vi ciclistas cometendo violencia contra os carros e ocupantes nesta situação.

Nilson
Nilson
12 dias 23 horas atrás

Sem problema, eu ando uma ou duas quadras mas vou de Uber.

1 2 3 13
wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas