enkontra.com
Fechar busca

Curitiba e Região

Violência

Haitiana grávida é vítima de estupro coletivo em município da Grande Curitiba

  • Por Lucas Sarzi
Foto: Aniele Nascimento / Gazeta do Povo

Se não bastasse lidar com os problemas que enfrentava em seu país de origem, um casal do Haiti, que está em Mandirituba, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), fugindo da pobreza e das consequências do terremoto que atingiu o país em 2010, foi vítima da pior das situações: no último domingo (13), eles tiveram a casa invadida por quatro homens que estupraram a mulher e a violentaram de todas as formas possíveis, além de roubar os poucos pertences que eles tinham.

A impunidade, porém, não durou muito tempo. Num trabalho rápido de investigação da Polícia Civil de Fazenda Rio Grande, também na RMC, os quatro suspeitos do crime foram encontrados e a brutalidade foi elucidada. A mulher, além de ter sido estuprada, está grávida de um mês.

+ Viu essa? Hoje é Dia do Gari e tem gente ralando muito ao invés de comemorar

A delegada Gislaine Ortega, que comanda a Delegacia de Fazenda Rio Grande, contou que o crime aconteceu por volta das 9h30. “Os bandidos entraram na residência do casal, que está no Brasil a partir de um projeto que lhes ajuda a encontrar melhores condições de vida, para roubar os poucos bens que o casal mantinha. Quando viram que se tratava de uma mulher que estava lá, além de roubarem as vítimas, abusaram sexualmente da mulher”, contou.

Segundo a delegada, durante o ato, os bandidos lesionaram a mulher com facadas e ameaçaram de morte, tudo na frente do marido dela, que não teve sequer como reagir. Aos policiais, o casal contou que os bandidos ficaram por volta de duas horas e meia dentro da residência. “Quando foram direcionar a agressão ao marido, a mulher conseguiu fugir. Ela pulou de uma altura de aproximadamente um metro e fingiu de morta. Nisso, os quatro se assustaram e correram da casa”.

Investigação rápida

Na delegacia, a haitiana conseguiu reconhecer de imediato dois dos suspeitos. “Mas, como ela nos disse que os quatro teriam a estuprado, começamos a procurar pelos outros dois”, destacou a delegada. Próximo ao local do crime, os policiais descobriram que um dos suspeitos teria comprado uma garrafa de bebida alcoólica numa mercearia. “Chegamos até o local de trabalho dele e, ao ser abordado, primeiro negou o crime, mas depois confessou que os quatro estupraram a mulher”.

+ Leia mais: Adiado interrogatório com peritos do Caso Mugiatti

Quando foram encontrados, os quatro foram levados para a delegacia e tentaram justificar o crime dizendo que a intenção era somente roubar. “Disseram que, como estavam loucos, fizeram o que fizeram. Barbarizaram. Agiram com muita violência, machucaram muito a mulher”, desabafou a delegada. Os quatro bandidos ficaram presos, na Delegacia de Fazenda Rio Grande. Segundo a polícia, os rapazes, que têm entre 18 e 25 anos, são moradores de Mandirituba e não tinham passagens criminais enquanto maiores.

Hospitalizada

A haitiana foi encaminhada a um hospital e, por estar grávida de um mês, precisou de um atendimento ainda mais delicado. “Ela vai precisar de acompanhamento, principalmente na questão da medicação necessária, para não prejudicar a gestação. Todo o atendimento tem sido acompanhado por uma equipe de assistência dos organizadores do projeto que atende o casal por aqui, pois há certa dificuldade pelo idioma, que eles só falam francês”, explicou Gislaine.

Suspeitos sequestram caminhão, mas só levam ‘metade’ da carga

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

33 Comentários em "Haitiana grávida é vítima de estupro coletivo em município da Grande Curitiba"


alvaro
alvaro
1 mês 2 dias atrás

Deviam ter matado estes vermes na abordagem. Que este casal fique sabendo que aqui, na república das bananas, nem todos são como está escória. Espero que o direito dos manos não processe o casal por terem sobrevivido.

Mário
Mário
1 mês 2 dias atrás

Querer não é poder .

Steve
Steve
1 mês 2 dias atrás

Um tiro na cabeça de cada um resolve essa situação

Paulo Cesar
Paulo Cesar
1 mês 2 dias atrás

Steve muito pouco. Tem é que meter um cabo de vassoura com cerol e meter no rabo deles várias vezes e depois deixar nas mãos dos manos para acabar o serviço. São lixos e deve sofrer antes de morrer.

tom redblack
tom redblack
1 mês 2 dias atrás

Serão presos sim e serão castigados a altura do crime dentro das celas, isso é básico, a essas alturas já tem advogados porta de cadeia pra esses lixos e a maria do rosário já deve ter acionado a comissão de direitos dos manos pra aliviar a barra desses vermes!

Carlos
Carlos
1 mês 2 dias atrás

Infelizmente isso não acontece mais na cadeira (o que seria nada mais do que justo), quem comete esses crimes são presos em locais separados (agradeça aos direitos dos manos por isso), antigamente sabíamos que pelos menos outros presos fariam justiça, hoje é lamentar.

tkt_486_152983
tkt_486_152983
1 mês 2 dias atrás

Brasil mostra a tua cara. Tenho pena das pessoas que fogem da miseria em seu pais e vem para este. Logo logo to batendo em retirada.

 Dr. Antonio Benedito
Dr. Antonio Benedito
1 mês 2 dias atrás

Como os meninos estavam alterados, logo não fizeram racionalmente. Como foi apenas roubo com um pouco de agressão a magistrada da Fazenda Rio Grande , vai imputar-lhes uma medida de prestação de serviços comunitários. Pois nós bacharéis sabemos que a prisão não educa ninguém e sim o convivio.

A Gabardo
A Gabardo
1 mês 2 dias atrás

Ja temos Lula Bacharel, o Brasil esta avançando rs

Inversão de Valores
Inversão de Valores
1 mês 2 dias atrás

Sério, suas piadinhas já não tem mais graça.

Celso Antunes
Celso Antunes
1 mês 2 dias atrás

Pode não ter graça, mas é bem isso que vai acontecer. Ou vc acha que esses caras vão ser condenados e vão cumprir pena?

 Dr. Antonio Benedito
Dr. Antonio Benedito
1 mês 2 dias atrás

Piada? Tem algum palhaço aqui, tirando os coxinhas…

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas