Fechar busca

Curitiba e Região

Mobilização

Greve geral! Veja quem vai cruzar os braços nesta quarta-feira!

  • Por Durval Ramos
Foto: Giuliano Gomes.
Foto: Giuliano Gomes.

Educação, transporte, saúde e metalurgia. Esses são apenas alguns dos setores que devem cruzar os braços em Curitiba na próxima quarta-feira (15) em protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência apresentas pelo governo federal. Aprovadas pelas categorias, as paralisações vão afetar o funcionamento de diversos serviços públicos e complicar a vida de milhões de curitibanos. Bancários também aderiram ao movimento.

O transporte coletivo é um que mais deve impactar a população. Embora o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc) não tenha uma previsão de quantos trabalhadores vão parar na data, a expectativa é que a adesão seja total ou muito próxima disso, o que pode afetar cerca de 1,5 milhão de usuários na cidade.

A Urbs já confirmou que vai entrar na Justiça pedindo a manutenção de uma frota mínima operante, embora não tenha revelado de quanto será esse total. A paralisação deve durar apenas a quarta-feira, mas o sindicato já apontou que uma nova greve deve acontecer também nesta semana. A Urbs pediu na justiça a frota mínima de ônibus por conta da paralisação dos trabalhadores do transporte.

Pautas locais

Na educação, a parada vai ser ainda maior. Professores da rede municipal e estadual aproveitaram a paralisação para pressionar a prefeitura e o governo do estado com outras pautas. As duas categorias vão parar por tempo indeterminado, afetando milhões de alunos.

A principal reivindicação da APP-Sindicato é que o governo do Paraná volte atrás na decisão de reajustar a hora-atividade da categoria, além do fim da resolução da distribuição das aulas. A associação não informou quantos dos 75 mil professores sindicalizados vão aderir à paralisação.

Na rede municipal, a greve deve afetar 141 escolas, creches e centros de atendimento especializado da capital paranaense. De acordo com o Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Curitiba (Sismmac), espera-se que cerca de 80% dos 10 mil profissionais cruzem os braços a partir do dia 15. Eles exigem novas contratações, melhores condições de trabalho e a implantação imediata do Plano de Carreira.

Os servidores municipais param somente na quarta-feira, embora o sindicato responsável pela categoria (Sismuc) não descarte a possibilidade de uma expansão ao molde do que será feito pelos professores. A coordenadora do setor jurídico do sindicato, Adriana Claudia Kalckmann, conta que as últimas declarações do prefeito Rafael Greca (PMN) sobre um possível ajuste fiscal desagradou os profissionais, que ainda esperam por um diálogo com a prefeitura para negociar aumentos de salários.

“As últimas indicações do prefeito deixaram a base bem descontente, então devemos ter uma adesão bem grande nessa paralisação”, diz Kalckmann. “Antes, a gente lutava para conquistar direitos. Hoje, brigamos para não perder”.

Essas três categorias devem se reunir para um ato na manhã do dia 15 na praça Santos Andrade, a partir das 9h.

Foto: Daniel Castellano.

Foto: Daniel Castellano.

Outros setores

O SindSaúde Paraná, responsável pelos profissionais de saúde do estado, também confirmou paralisação. O sindicato está organizando uma mobilização em frente à Secretaria da Saúde para exigir algumas de suas pautas, como o pagamento atrasado de promoção e progressão, reajuste na data-base e o reajuste na jornada de trabalho. Eles também devem protestar em frente ao Palácio Iguaçu, no Centro Cívico.

Os metalúrgicos aderem ao 15 de março com paralisação em massa na indústria paranaense. Contra as reformas federais, os cerca de 15 mil trabalhadores vão parar as linhas de montagem nas montadores Renault, Volvo e Volkswagen. A Bosch também deve ser afetada, assim como outras empresas da região.

Além desses, profissionais de outras áreas também podem parar. Os bancários votaram pela adesão ao movimento no início da noite desta segunda-feira. Já os policiais civis anunciaram que vão esperar a decisão da UPB (União dos Policiais do Brasil) antes de se posicionar. Porém, no site do Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná (SinclaPol), o presidente André Luiz Gutierrez diz não descartar a possibilidade de ampliar a paralisação caso o governo estadual não cumpra o compromisso com os policiais.

Braços cruzados

A quarta-feira (15) vai ser de paralisações em todo o país. Saiba o que vai parar em Curitiba.

Quem vai parar?  Tempo  Quantos
Motoristas e cobradores Indeterminado  12 mil
Professores estaduais Indeterminado  75 mil
Servidores públicos municipais 15 de Março  Cerca de 14 mil
Professores municipais Indeterminado 10 mil
Servidores estaduais da saúde do Paraná 15 de março Sem previsão
Polícia civil A Definir
Bancários 15 de março Sem previsão
Metalúrgicos 15 de março 15 mil

 

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

42 Comentários em "Greve geral! Veja quem vai cruzar os braços nesta quarta-feira!"


Cristian
Cristian
2 meses 14 dias atrás

Defendo a greve para quem tem anos de trabalho contra essas pessoas não é justo só que esse é o risco de quem decidiu mamar na teta. bem feito pra quem pensava na mordomia: “funcionário público”, “cargo de ESTABILIDADE” saiba: fez parte do governo não sendo setor de JUSTIÇA, VOCÊ É APOIA O COMUNISMO

clever
clever
2 meses 15 dias atrás

É isso ai, estou a favor a greve, temos que nos unir neste momento para mostrar que todos estamos descontentes com nossos representantes, que só sabem levar a melhor, estamos voltando a era dos escravos, temos que trabalhar quase meio ano para bancar estes bandidos.
Greve,greve,greve.

é FURACÃO MERMÃO
é FURACÃO MERMÃO
2 meses 15 dias atrás

ah sim! falou em greve, lembre ” professores”. Vamos redefinir o AURÉLIO : greve- significado: “professores”

Mitxy
Mitxy
2 meses 15 dias atrás

Pelo nick se vê que os professores precisam preservar a educação e fazer greve. Pessoas assim que deixam nosso país a mercê de bandidos corruptos.

Leonizia Bastos
Leonizia Bastos
2 meses 15 dias atrás

Todos temos que lutar pelos o nossos direitos trabalhista, agora o Sr. Temer chega e quer tirar tudo do trabalhador para colocar onde, logico no bolso dos corruptos do Brasil. Sou a favor da greve sim, educação, saúde e segurança esta um caos . Vamos la fazer a nossa parte.

Marclawyer 1970
Marclawyer 1970
2 meses 16 dias atrás

São os mesmos grupelhos de sempre, a maioria historicamente ligados à CUT e, por extensão, ao “PUTÊ”. Os metalúrgicos, um feudo do Sr. Butka, logo serão substituídos por robôs. Os professores, todavia, são os mais perigosos, pois viciam nossos filhos com suas ideias esquerdistas. Senta borracha!

Clenemar
Clenemar
2 meses 16 dias atrás

Você não está falando sério! Tenho dó de pessoas com opinião desse naipe! Impressionante…….

André G
André G
2 meses 16 dias atrás

Os Metalúrgicos logo logos vão ser extintos das fábricas, estão lá por força do sindicato que não deixam automatizar as linhas, senão o sindicato fica sem a famosa contribuição anual e os cobradores são outros peso morto, não servem nem para coibir os furadores de catraca e tubo…

tom redblack
tom redblack
2 meses 16 dias atrás

Concordo plenamente com essa greve aliás, deveria ter paralisação geral, agora, por favor a manezada com seus comentários estapafúrdios, vamos respeitar professores da rede estadual que ganham um salário de privada e principalmente as educadoras de creches que trabalham 8hrs por dia!

tom redblack
tom redblack
2 meses 16 dias atrás

8hrs diárias pra cuidar e educar um monte de crianças, acham que é fácil? Essa classe de professores e educadoras mereciam sim mais respeito e uma melhor remuneração pelo que fazem e esses fs.ds.pts. de governantes ganham em um mes o que um professor ganha em um ano e meio! É bricadeira!!

El Enrabador de Atleticano
El Enrabador de Atleticano
2 meses 16 dias atrás

Pra isto o governo arruma recursos e como fica a previdência que arca com tudo isto? Vocês só legislam em causa própria e não estão nem ai pra população. O sistema de saúde é pra matar a população que necessita e não consegue utiliza-lo. Com a palavra os políticos.

El Enrabador de Atleticano
El Enrabador de Atleticano
2 meses 16 dias atrás

continuação… até morrer. Se algum político ler este comentário, gostaria que se manifeste justificando o motivo de ganharem tanto pelo pouco que fazem, além das inúmeras mordomias, e aposentadoria integral com todos os benefícios (cade o projeto pra acabar com esta pouca vergonha?).

El Enrabador de Atleticano
El Enrabador de Atleticano
2 meses 16 dias atrás

Eu só gostaria de saber qual é destes políticos safados que vem a público com justificativas esdrúxulas, dizendo que a reforma da previdência é necessária para evitar que a mesma deixe de ter recursos pra pagar as aposentadorias. Acho que o objetivo de vocês e fazer o trabalhador trabalhar – segue..

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas